Renovação do Alfa Pendular atrasada para 2020

"Problemas pontuais" justificam demora na reparação de comboio topo de gama da CP. Empresa não vai receber comboios rápidos de Espanha.

A renovação dos dez comboios Alfa Pendular apenas ficará concluída nos primeiros meses de 2020. A revisão geral deste material topo de gama da CP - Comboios de Portugal, que deveria terminar no final deste ano, está atrasada devido a "problemas pontuais", revelou a transportadora ferroviária. Mas os problemas não ficam por aqui: a empresa não vai poder contar com o aluguer de comboios rápidos vindos de Espanha, o que impedirá o reforço da operação de longo curso nos próximos anos.

"A conclusão do processo e a entrega da décima unidade deverá ocorrer nos primeiros meses de 2020. Numa operação desta dimensão, é natural que ocorram situações pontuais que podem provocar alguns atrasos. Este facto não tem impactos adicionais, já que desde o início do programa de intervenções, a metodologia consiste em imobilizar um Alfa Pendular de cada vez", justifica fonte oficial da empresa ao DN/Dinheiro Vivo.

Os comboios mais rápidos da CP - atingem os 220 km/h nas linhas portuguesas - estão a ser alvo de uma revisão geral desde o final de 2016. A renovação de meia vida deste material inclui uma remodelação profunda das dez unidades CPA 4000 nas oficinas do Entroncamento da EMEF, empresa pública de manutenção de comboios.

Ao todo, estão a ser investidos 18 milhões de euros no novo design exterior e interior dos comboios, bancos e materiais de revestimento, sistemas de iluminação, remodelação de bar e casa de banho e manutenção de sistemas mecânicos e hidráulicos. Até agora, já há seis automotoras totalmente revistas, "estando em curso a renovação da sétima".

A CP sustenta que estes atrasos não vão ter "impactos adicionais na circulação", mas a verdade é que a empresa fica só com um comboio a mais para garantir o serviço de longo curso - atualmente precisa diariamente de oito comboios para ligações que vão desde Braga a Faro. A funcionar no limite da capacidade, "qualquer problema num comboio terá repercussões na circulação", avisa a comissão de trabalhadores da companhia.

Espanha sem comboios rápidos

Carlos Gomes Nogueira, presidente da CP, na audição parlamentar de dia 5 de março, afastou a vinda de comboios rápidos espanhóis para reforçar a oferta de Alfa Pendular e Intercidades, que poderiam permitir o crescimento da empresa portuguesa no rentável segmento do longo curso.

No início de setembro tinha sido anunciado o aluguer à Renfe de um total de sete unidades elétricas para o serviço de longo curso. Seis meses depois, o gestor assumiu que se "esgotou" a capacidade de os espanhóis poderem alugar mais comboios a Portugal, além das 24 automotoras a gasóleo que estarão no parque de material circulante a partir do final deste ano.

Os comboios mais rápidos da CP - atingem os 220 km/h nas linhas portuguesas - estão a ser alvo de uma revisão geral desde o final de 2016

A partir deste ano, além das 20 automotoras alugadas desde 2011 à Renfe, a CP vai contar com mais quatro unidades UTD 592 (unidade tripla Diesel) para o serviço regional e que contam com perto de 40 anos - ainda assim, são mais modernas do que as máquinas com mais de 50 e 60 anos atualmente ao serviço de algumas linhas não eletrificadas.

A primeira destas quatro automotoras entrou ao serviço no dia 22 de março, um mês depois de ter recebido autorização técnica da parte do IMT - Instituto da Mobilidade e dos Transportes. Esta demora deve-se, em parte, ao Tribunal de Contas, que apenas no dia 14 deste mês deu visto prévio à operação.

A segunda automotora espanhola deverá chegar a Portugal nas próximas semanas; a entrega das restantes unidades está prevista para os meses de junho e setembro. A partir deste ano, a CP vai pagar 8,3 milhões de euros pelo aluguer das 24 automotoras aos espanhóis.

Renovação no Intercidades em 2020

O aumento das carruagens ao serviço do Intercidades também permitirá o crescimento da CP no serviço do longo curso. Fonte oficial da empresa diz ao DN/Dinheiro Vivo que a renovação das carruagens imobilizadas na empresa "será iniciada no princípio de 2020", depois da conclusão, até ao final deste ano, dos protótipos em desenvolvimento.

Fontes do setor indicam que a CP conta com mais de 20 carruagens do Intercidades imobilizadas e que poderiam permitir à empresa fazer mais viagens com destino a Lisboa, Porto, Braga, Guimarães, Évora e Faro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG