Premium Luís Severo consensual e ainda romântico ao terceiro disco

Era um dos discos mais aguardados do ano e a sua chegada confirmou todas as expectativas. Com o terceiro álbum de originais, Luís Severo assume-se como um dos talentosos escritores de canções da atual música portuguesa.

É um caso raro de consensualidade, o de Luís Severo, de regresso aos discos com O Sol Voltou, confirmando - ou melhor, superando - todas as expectativas criadas nos dois trabalhos anteriores. O músico sorri, ao ouvir a palavra "consensualidade", afinal, como faz questão de corrigir, "o reconhecimento por parte do público só veio depois" do da crítica. "Foi muito mais difícil conquistar o público", diz.

Agora que o conseguiu, a bola de neve não mais parou de crescer e o novo disco representa apenas mais um passo na conquista desse olimpo das canções perfeitas. "Começo a ter algum feedback de pessoas reais, que me enviam mensagens muito simpáticas e isso é muito bom. Tenho de confessar que estava um bocadinho inseguro com este disco, porque passei muito tempo a fazê-lo, sozinho e com pouca consultoria externa. No dia anterior ao lançamento estava um pouco ansioso, mas acabou por correr muito bem", afirma.

Ler mais

Exclusivos