Premium 'Toy Story 4': os brinquedos também envelhecem?

No novo filme há um garfo que se recusa a ser um brinquedo e uma boneca que se recusa a ter uma dona. Woody descobre que há vida para além do quarto dos brinquedos.

Estreado em 1995, o primeiro Toy Story respondia em filme a uma daquelas dúvidas que todos temos em criança: o que fazem os brinquedos quando nós saímos do quarto e enquanto passamos o dia na escola? Será que eles têm conversas entre si? O que é que os brinquedos pensam disto tudo? Ao longo de três filmes, afeiçoámo-nos a Woody (voz de Tom Hanks na versão original, Miguel Ângelo em Portugal), um cowboy que era o brinquedo preferido de Andy e que nunca deixou de perseguir aquele que é (como todos sabem) o grande objetivo dos brinquedos: fazer as crianças felizes. Ao mesmo tempo que se metia em grandes aventuras e nos dava lições sobre a amizade e a solidariedade.

Todos nos lembramos do emocionante final de Toy Story 3 em que, antes de ir para a universidade, Andy oferece a sua caixa de brinquedos a uma menina para que eles continuem a cumprir a sua função. O que nós descobrimos agora é que Bonnie, a rapariga que herdou os brinquedos de Andy, apesar de ser uma criança adorável, não parece gostar assim tanto de Woody. O cowboy estava habituado a ser o preferido e a liderar as aventuras no quarto dos brinquedos, mas com Bonnie as coisas são diferentes: ela gosta mais de brincar com a boneca Dolly. Mas Woody não gosta de ficar para trás e insiste em meter-se na vida de Bonnie, por exemplo escondendo-se dentro da sua mochila quando ela vai para o infantário.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Flamengo-Grémio

Jesus transporta sonho da Champions para a Libertadores

O treinador português sempre disse que tinha o sonho de um dia conquistar a Liga dos Campeões. Tem agora a oportunidade de fazer história levando o Flamengo à final da Taça Libertadores para se poder coroar campeão da América do Sul. O Rio de Janeiro está em ebulição e uma vitória sobre o Grémio irá colocar o Mister no patamar de herói.