Premium Sub-19. A nova geração que hoje quer dar mais um título a Portugal

Mesmo privada de alguns dos melhores atletas, a seleção sub-19 pode sagrar-se hoje campeã da Europa se vencer a Espanha. Só um jogador tem experiência de I Divisão. Os restantes evoluíram nos juniores, na II Liga e na Liga Revelação.

A seleção portuguesa de sub-19 pode fazer hoje história e sagrar-se campeã da Europa pela segunda vez consecutiva. O adversário na final que se realiza na Arménia é a Espanha, com a qual a equipa das quinas se cruzou na fase de grupos (1-1). Esta será a terceira final seguida da seleção agora treinada por Filipe Ramos (ex-jogador do Sporting que foi campeão do mundo de sub-20 em Riade, 1989) e a 13.ª de sempre deste escalão em Europeus, nos quais Portugal ganhou quatro edições (1961, 1994, 1999 e 2018).

Há um ano, os sub-19 sagraram-se campeões da Europa sem algumas das principais referências da equipa, casos de João Félix, Gedson Fernandes e David Tavares (Benfica), Luis Maximiniano (Sporting) e Diogo Leite (FC Porto), jogadores que não foram cedidos por integrarem os trabalhos da pré-época dos respetivos clubes. Este ano a história pode voltar a repetir-se, com o selecionador a ver-se privado de várias peças importantes - os benfiquistas Nuno Tavares, Pedro Álvaro, Tiago Dantas, Úmaro Embaló (este lesionado), os portistas Tomás Esteves, Romário Baró e Fábio Silva e os leões Nuno Mendes, Eduardo Quaresma, Rafael Camacho e Joelson Fernandes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.