Os portugueses são os responsáveis pela introdução do ukulele no Havai, o irmão gémeo do cavaquinho.
Premium

Emigração

Pukiki, ukelele, malassadas ou como os portugueses mudaram o Havai

Documentário Portugueses no Havai, que tem estreia nacional neste sábado na Madeira, revela que 10% da população do arquipélago americano tem origens portuguesas.

Quando aterrou no Havai, Nélson Ponta-Garça levava na cabeça o que tinha estudado nos livros sobre a presença portuguesa no arquipélago americano, sabia que o ukulele é a versão havaiana do cavaquinho mas só tinha um contacto na agenda. Não havia entrevistas marcadas, nem uma que fosse, para iniciar o documentário que seria o terceiro da série Portuguese in... - levava apenas o nome de Marlene Haipi.

Mas este seria o melhor número de telefone que lhe poderiam ter dado. Marlene, também lusodescendente como Nélson, arranjou maneira de lhe multiplicar os contactos nas ilhas havaianas. Do ponto de vista profissional, Marlene, que é diretora do Imiloa Astronomy Center, viria a tornar-se a produtora executiva do documentário Portugueses no Havai; do ponto de vista pessoal, ambos viriam a descobrir que ainda têm ligações familiares. "Encontrei raízes da minha família onde não esperava", diz o realizador.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.