Braga de bronze atira leões de Rúben Amorim para fora do pódio

Benfica venceu o Sporting (2-1) e Sp. Braga ganhou ao já campeão FC Porto (2-1), na 34.ª e última jornada da I Liga. Rio Ave ficou com última vaga europeia. Lágrimas em Famalicão. Domingo joga-se a manutenção.

A vingança serve-se fria. O Sp. Braga acabou em terceiro lugar, depois de vencer o já campeão FC Porto (2-1) e ter a ajuda do Benfica, que este sábado venceu o Sporting (2-1), no Estádio da Luz.

Os leões só precisavam de um empate para segurar o último lugar no pódio, que dá acesso direto à Liga Europa, mas não conseguiram o objetivo. A vaga é assim do antigo clube de Rúben Amorim, que termina a época a perder (é a segunda derrota do jovem técnico em 20 jogos no principal campeonato). Equipa leonina termina em 4.º lugar e terá de jogar uma pré-eliminatória da Liga Europa.

Quase sem poupanças no onze inicial, a equipa de Sérgio Conceição marcou muito cedo, por Uribe (saiu lesionado do lance e pode ser grave) e viu o árbitro anular outro golo antes do intervalo. Sérgio Oliveira marcou, mas o árbitro anulou o lance por for a de jogo de Soares.

Depois de 45 minutos abaixo do esperado e sem qualquer oportunidade de golo, os guerreiros voltaram determinados em mudar o rumo dos acontecimentos. O que aconteceu com golos de Ricardo Horta e Fransérgio.

Numa época em que teve cinco treinadores (Abel, Sá Pinto, Rúben Amorim, Custódio e Artur Jorge), o Sp. Braga fez o pleno de vitórias contra o FC Porto numa época, acabou em terceiro e ainda conquistou a Taça da Liga.

O jogo ditou ainda as despedidas do árbitro Jorge Sousa e do guarda-redes Eduardo. O campeão da Europa pela seleção em 2016 decidiu colocar um ponto final na carreira aos 37 anos para integrar a estrutura do clube minhoto.

Vinícius ditou o rumo do jogo e acabou como goleador

Na Luz, a falta de adeptos nas bancadas tirou cor ao dérbi eterno. Para o Benfica havia pouco em jogo, mas para o Sporting estava em jogo o 3.º lugar e mais importante do que isso a esperança de uma época melhor para o ano.

Sem Coates, lesionado durante o aquecimento, o Sporting entrou forte e chegou a ter momentos de claro domínio, encostando os encarnadas lá trás. No entanto foi o Benfica a marcar primeiro, aproveitando um saída lenta dos leões num lance de bola parada, Seferovic bateu Maximiano.

A segunda parte pedia coisas novas, principalmente a um Sporting que voltou para o balneário em desvantagem. Depois de uma ameaça de Tiago Tomás (acertou no Ferro), Sporar empatou o jogo. Mas as notícias que chegavam de Braga não eram boas para os objetivos leoninos - guerreiros estavam a ganhar ao FC Porto. E seria mais um falta de concentração a mudar a história final do jogo e do campeonato. O golo de Vinícius ainda foi anulado, mas o VAR reverteu a decisão do árbitro e derrotou o Sporting e fez do brasileiro o melhor goleador do campeonato, com os mesmos 18 golos de Pizzi e Taremi.

É mais uma época para esquecer por parte dos leões, que terminam com um recorde de 17 derrotas. Rúben Amorim terá assim de jogar as pré-eliminatórias da Liga Europa e ter menos tempo para trabalhar a equipa para a nova temporada. "Se há coisa de que tenho certeza, foi de vir para o Sporting. Espero que os sportinguistas estejam preparados para a guerra. Estou mais convencido hoje do que quando cheguei. Estou feliz da vida por estar no Sporting", atirou o técnico do Sporting no final do seu primeiro dérbi como treinador.

O Benfica fechou o campeonato 2019-20 no segundo lugar, com 77 pontos, atrás do campeão FC Porto (82), e à frente de Sp. Braga e Sporting, ambos com 60 pontos, mas com os arsenalistas a levar a melhor no confronto direto.

Para domingo fica reservado o adeus à I Liga 2019/20, com a decisão sobre a equipa que acompanhará o lanterna-vermelha e já despromovido Desportivo das Aves na descida ao segundo escalão, com o Portimonense, 17.º e penúltimo colocado, em situação de desvantagem perante Vitória de Setúbal (16.º) e Tondela (15.º), as outras equipas aflitas.

Herói Taremi e lágrimas famalicenses

Eles não mereciam, mas o futebol faz-se de pontos e o Rio Ave conseguiu mais um no final das 34 jornadas da I Liga. Na época em que subiu de divisão, o Famalicão acabou em sexto lugar. Foi o primeiro líder do campeonato e chegou a sonhar com mais perante um crise inicial dos três grandes. A última viagem podia ser de sonho, mas acabou por ser de pesadelo.

Um empate na Madeira (3-3) com o Marítimo roubou-lhes a oportunidade de um apuramento inédito para a Liga Europa. O jogo foi emotivo. Depois de estar duas vezes em desvantagem a equipa de João Pedro Sousa chegou a estar em vantagem aos 90 minutos, mas desconcentrou-se com os festejos e o Marítimo empatou e roubou-lhes o sonho. Percebem-se as lágrimas dos jogadores famalicenses pelo que fizeram na época...

Isto porque no outro jogo o Rio Ave cumpriu e venceu o Boavista com dois golos de Taremi (2-0). É a quarta vez que a equipa de Vila do Conde se apura para as provas da UEFA.

Dança dos treinadores. Carvalhal deixa Rio Ave, Daniel Ramos sai do Bessa

Depois de 16 (e mais alguns interinos) chicotadas psicológicas durante a época, a I Liga pode assim terminar com apenas dois técnicos no lugar onde estavam no início: Sérgio Conceição (FC Porto) e Natxo González (CD Tondela).

Ivo Vieira fez o último jogo no banco do Vit. Guimarães no sábado, o jogo com o Santa Clara, que também ficou sem técnico. No final do jogo (2-2), João Henriques anunciou a saída. Também Vítor Oliveira se despediu do Gil Vicente, após o encontro com o Paços de Ferreita (3-3).

Carlos Carvalhal estava em final de contrato e abandonou o Rio Ave, depois de conseguir o apuramento para a Liga Europa. Fala-se que pode suceder a Jorge Jesus no Flamengo. "Claro que estou satisfeito, nunca na vida tive tantas oportunidades em mão. Tenho várias, em Portugal, em Inglaterra e noutros países, é melhor não falar. Estou muito feliz com isso. É também, no fundo, a repercussão de uma época de grande qualidade. Querem que transporte o conceito do Rio Ave para esses clubes. Vou hibernar, depois vou falar com as pessoas à minha volta e ver o que vai acontecer."

Também Daniel Ramos disse adeus ao Boavista, após a derrota com o Rio Ave, apesar de "desconhecer as razões para a saída". O próximo deve ser João Pedro Sousa (Famalicão). De saída estão ainda Lito Vidigal (Vit. Setúbal), Artur Jorge (SP.Braga) e Nélson Veríssimo (Benfica), que será substituído por Jorge Jesus.

No domingo é a vez de Nuno Manta Santos fazer o último jogo no banco do Desp. Aves (o treinador chegou a ser despedido esta semana antes do jogo com o Benfica, mas pediu para acabar a época e por isso ainda vai a Portimão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG