Premium Geringonça. As "posições conjuntas" foram cumpridas? Foram

Num momento em que os líderes de PS, BE e PCP lançam farpas entre si, o DN foi ver se as "posições conjuntas" assinadas em 2015 foram cumpridas.

Das três "posições conjuntas" que António Costa assinou em novembro de 2011, é a do PCP a mais curta: duas páginas e meia apenas. Na prática, no que toca a entendimentos para políticas públicas, socialistas e comunistas identificaram matérias em que era "possível convergir" mas sem excesso de pormenores.

No essencial foi tudo cumprido - medidas como o descongelamento das pensões, a reposição dos feriados retirados, a redução para 13% do IVA da restauração, a progressiva gratuitidade dos manuais escolares do ensino obrigatório, a reversão dos processos e concessão/privatização das empresas de transportes terrestres (Carris, Metro de Lisboa e STCP) e a não admissão de qualquer novo processo de privatização (aconteceu mesmo o contrário: o Estado ficou com controlo integral do SIRESP, o sistema de comunicações de emergência da Proteção Civil).

Ler mais