Natal com novas restrições no sapatinho, crianças vacinadas e ginjinha em Belém

SÁBADO

Vacinação das crianças supera agendamentos

Depois de muito debate em torno do assunto, com os próprios especialistas a dividirem-se, os centros de vacinação encheram-se de ursos de peluche e de funcionários com bonés natalícios para receber o primeiro dia da vacinação das crianças entre os 9 e os 11 anos. Para o fim de semana estavam feitos 77 mil agendamentos, mas o número foi largamente ultrapassado com mais 19 mil crianças a deslocarem-se aos centros de vacinação para receberem a primeira dose da Pfizer pediátrica contra a covid-19. São 30% das crianças nessa faixa etária. Depois de uma pausa para as festas, as restantes faixas etárias serão vacinadas no início de 2022: dos 9 aos 7 anos entre 6 e 9 de janeiro, as de 6 e 7 nos dias 15 e 16 e as de 5 anos a 22 e 23.

DOMINGO

Rui Rio promete: "Não vamos fazer nenhuma revolução"

Foi dirigindo-se mais ao país do que ao partido e com um tom claro de campanha eleitoral que Rui Rio encerrou o 39.º Congresso do PSD. "Não vamos, por isso, fazer nenhuma revolução nem vamos destruir tudo o que os outros fizeram. Queremos apenas, de forma sensata, mas corajosa e realista, desenvolver o nosso país e voltar a trazer a esperança aos portugueses", garantiu o líder, apostando numa espécie de reformismo na continuidade. Um discurso que se não apresentou novidades quis tranquilizar quem não quer nem pede ruturas, antes das legislativas marcadas para 30 de janeiro.

SEGUNDA

O líder estudantil que chegou a presidente do Chile

Em 2011, Gabriel Boric estudava na Faculdade de Direito de Santiago quando saltou para a ribalta como um dos rostos dos protestos estudantis. A "primavera chilena" não deu frutos, mas foi berço de uma nova geração de políticos. O agora candidato da coligação Aprovo Dignidade (que inclui o Partido Comunista) venceu a segunda volta das presidenciais no Chile. "A esperança ganhou ao medo", lançou diante da multidão. A 11 de março, um mês depois de fazer 36 anos, o antigo líder estudantil irá tornar-se o mais jovem presidente do Chile e tem pela frente o desafio de cumprir as promessas eleitorais: enterrar o modelo neoliberal, reformar o sistema de pensões, aumentar impostos aos mais ricos e criar um Estado social onde todos tenham os mesmos direitos.

TERÇA

Natal com novas medidas de contenção no sapatinho

A semana de contenção estava prevista para o início de 2022, mas o governo decidiu antecipar as medidas para travar a covid-19 e o Natal traz novas regras no sapatinho dos portugueses. A partir de dia 25 o teletrabalho passa a ser obrigatório, os testes gratuitos por pessoa passam de quatro para seis e para entrar em vários estabelecimentos e eventos será exigido teste negativo. As creches e ATL, que habitualmente estariam a funcionar entre o Natal e o Ano Novo, estarão encerradas nesses dias. Discotecas e bares com espaço de dança encerram. Os espaços comerciais veem a lotação reduzida a uma pessoa por metro quadrado. E este será mais um ano sem festejos na passagem de ano - os ajuntamentos na via pública de mais de dez pessoas estão proibidos.

QUARTA

Novo adiamento para o maior telescópio espacial

Era para ser a 24, mas ficámos nesta quarta-feira a saber que afinal o maior telescópio espacial só vai ser lançado no Dia de Natal. E este está longe de ser o primeiro atraso para o James Webb, que tem o nome de um antigo dirigente da NASA. O telescópio, que tem um instrumento calibrado pela astrónoma portuguesa Catarina Alves de Oliveira e a segurança das operações supervisionada por engenheiros do ISQ - Instituto de Soldadura e Qualidade, esteve para ser lançado em 2007, mas, ano após ano, os adiamentos foram-se sucedendo. E os custos aumentando: de 443 milhões de euros para 8,8 mil milhões. O James Webb é o maior e mais potente telescópio espacial, destronando o "velhinho" Hubble. Irá captar a luz de corpos celestes mais longínquos, de há 13,5 mil milhões de anos, quase a idade do universo.

QUINTA

Governo aprova Gouveia e Melo para revolucionar Armada

Depois da "guerra" ao vírus da covid-19 que o levou a liderar a task force da vacinação e dos "equívocos" com a exoneração, em setembro, do atual chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), Mendes Calado, o vice-almirante Gouveia e Melo foi aprovado pelo governo como CEMA. A "revolução" que o vice-almirante tem assumido querer fazer na Marinha, tornando este ramo das Forças Armadas numa espécie de catalisador para novas políticas de valorização do mar como ativo estratégico nacional, é bem conhecida do primeiro-ministro e encaixa na perfeição na "ambição" declarada de António Costa de transformar os oceanos numa "grande causa e missão global". Eleito pela redação do DN personalidade nacional do ano, Gouveia e Melo apelou a que se passe da "retórica à ação". Chegou a hora.

SEXTA

Se Marcelo não vai à ginjinha do Barreiro, a ginjinha vai até ele

Já se tornou uma espécie de tradição de Natal: a ida de Marcelo Rebelo de Sousa ao Barreiro para participar na tradicional ginjinha na Tasca da Galega. Em 2020 o Presidente antecipou a visita de 24 para 23 de dezembro munindo-se de máscara e procurando manter a distância de segurança mas garantindo: "Presidente ou não Presidente, estou cá para o ano. Eu venho pela ginjinha, não venho por ser Presidente." Recém-operado a duas hérnias inguinais, neste ano Marcelo não foi à ginjinha, foi a ginjinha que veio a Marcelo. Pelas 14h00, a tradição cumpriu-se, e desta vez o Presidente nem teve de sair do Palácio de Belém para saborear um copinho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG