Premium

25 de Abril

A guerra silenciada e as qualidades viris dos portugueses. Os dias antes do 25 de Abril no DN

Na semana em que o jornal chegou velho às bancas, Portugal era um país que não parecia próximo de viver o sobressalto da Revolução dos Cravos. Nas páginas do DN, as eleições francesas eram seguidas de forma intensa como a guerra nos Golã. Da Guerra Colonial, quase nada. E nem um morto.

Quando o jornal chegou às bancas já estava velho: no momento que os portugueses reescreviam todas as manchetes dos jornais desse dia 25 de abril de 1974 e saudavam os militares nas ruas de Lisboa, um anónimo secretário provincial de Planeamento e Finanças revelava "o milagre de Angola", depois das contas de 1973 terem fechado com um "saldo de quase 600 mil contos".

Na semana anterior ao movimento dos capitães, nada nas páginas do Diário de Notícias - à época, uma voz oficial do regime do Estado Novo - apontava para o sobressalto que se viveu naquele "dia inicial inteiro e limpo", como escreveria Sophia, a poetisa de Abril.

Ler mais