Exclusivo Jamaica: detidos na Avenida da Liberdade tinham antecedentes criminais

A polícia ainda está a tentar perceber qual a ligação da manifestação da Baixa de Lisboa e os incidentes da noite passada, com explosivos atirados para a esquadra da Bela Vista. Mas uma coisa já sabe: nenhum dos jovens detidos é da Margem Sul, ou do bairro da Jamaica, onde ocorreram os acontecimentos que deram origem aos protestos.

Os quatro detidos na segunda-feira, nos confrontos com a polícia na Avenida da Liberdade, em Lisboa, tinham quase todos cadastro ou ficha na polícia - exceto um, que não era conhecido da polícia. Fonte policial disse ao DN que um dos detidos tem mais de 40 registos de crimes ou incidentes. E todos os outros partilham problemas com a polícia, como acusações de agressões, ofensas à integridade física, desacatos, entre outros.

Só há um português no grupo - os outros são dois guineenses (entre eles o que não estava referenciado na polícia) e um cabo-verdiano. Todos residentes em Portugal. Nenhum é do bairro da Jamaica, onde ocorreram os acontecimentos que levaram ao protesto no centro de Lisboa em que foram detidos. Dois são do Cacém, um de Paço de Arcos, outro da Póvoa de Santo Adrião e Paio Pires. Têm julgamento sumário marcado para 7 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG