Premium Embaixador de Guaidó em Lisboa é bisneto de um português

José Rafael Cots Malavé Dasilva, diplomata de carreira que vive há anos em Espanha, é conhecido como "portu".

O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, reconhecido por Portugal, nomeou José Rafael Cots Malavé Dasilva para embaixador em Lisboa. O diplomata de carreira, de 60 anos, que tem a dupla nacionalidade espanhola e venezuelana, é bisneto de um português de Coimbra que se casou com uma venezuelana de Upata, estado de Bolívar. É conhecido entre os amigos por "portu" - alcunha que recebem muitos portugueses na Venezuela.

Cots, filho de pai catalão, nasceu em Anaco, no estado de Anzoátegui (nordeste do país), mas muito pequeno foi viver para Upata, onde está instalada a família. Estudou na Escola de Estudos Internacionais, na Universidade Central da Venezuela, tendo também um diploma de estudos avançados nesta área tirado em Paris, segundo as informações que partilhou no LinkedIn.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.