Premium Rodrigo Maia: "Bolsonaro precisa começar a apresentar resultados"

Entrevista ao presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, que está em Portugal para o VII Fórum Jurídico de Lisboa.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, falou ao DN das relações com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, da discussão sobre presidencialismo e parlamentarismo e do projeto anticrime do ministro Sérgio Moro à margem do VII Fórum Jurídico de Lisboa, que termina na quarta-feira na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Que balanço faz destes pouco mais de cem dias de governo do presidente Bolsonaro?
É um governo que se está a tentar organizar. Esses movimentos de mudança foram preparados no mundo inteiro para tirar alguma coisa do lugar, tirar o sistema atual, a política tradicional, do lugar. Agora é uma nova política, um novo momento. Encaixar esse novo momento, atendendo aos anseios da sociedade que tem pressa, não é fácil num sistema democrático. Você não pode trabalhar para uma rutura, você tem de trabalhar para uma transição. Acho que é dessa forma que o presidente vai tentando organizar o governo dele. Acho que daqui para a frente a transição passou e agora Bolsonaro precisa começar a apresentar resultados, a apresentar propostas para o Brasil, que a gente não fique apenas carregando as agendas que o PT [Partido dos Trabalhadores] criou nos últimos 13 ou 14 anos. Um governo de direita precisa de construir uma nova agenda para o Brasil, não só na área económica mas também em todas as outras áreas. Acho que é isso que está faltando, mas acho que nos próximos meses isso vai ficar mais claro para a sociedade brasileira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.