Premium Uma matrioska de Testas de ferro? O MP acha que sim

Rui Mão de Ferro era testa de ferro de Carlos Silva que era testa de ferro de Jose Sócrates? Esta é a tese do Ministério Público - de interesses encaixados. Os arguidos negam tudo. E o gestor que vai agora ser ouvido quer que a sua atuação como administrador e sócio do empresário amigo do antigo primeiro-ministro seja explicada.

Terá cumprido indicações de Carlos Santos Silva, foi "lesado e enganado" e atuou sempre "de boa-fé". Por isso, quando foi chamado ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal para prestar declarações no âmbito da Operação Marquês decidiu afastar-se das empresas que liderava, decisão que, reconhece, "permitiu que a acusação extraísse conclusões erradas relativamente aos acordos de desvinculação feitos".

Estas serão algumas das teses que Rui Mão de Ferro deverá defender na tarde desta terça-feira quando estiver perante o juiz Ivo Rosa para prestar declarações no âmbito da fase de instrução da Operação Marquês, processo em que este gestor é um dos 28 arguidos (19 pessoas e nove empresas), e um total de 188 crimes, na quase totalidade de índole económico-financeira.

Ler mais

Exclusivos