Premium O bronze: o terceiro lugar com sabor a glória e a frustração

A medalha de bronze mais emblemática do desporto português foi alcançada pela seleção nacional de futebol no Mundial de 1966. As lágrimas de Eusébio tornaram-se icónicas e representaram o fim de um sonho. Ainda assim, António Simões, um dos heróis daquela equipa, faz questão de realçar o orgulho que sente por aquela medalha que até é de... prata.

O ano de 1966 ficou marcado na história do desporto português. A seleção nacional de futebol encantou Inglaterra, a pátria do futebol, e conquistou uma inédita medalha de bronze no Campeonato do Mundo. "Tenho a medalha guardada religiosamente em casa, mas o curioso é que ela é toda de prata! Tem a taça da FIFA na frente e no verso a inscrição de 3rd place, mas é de prata, embora represente bronze", revela António Simões, um dos jogadores que brilharam nos relvados ingleses ao lado de Eusébio.

Portugal desembarcou em Londres cheio de esperança em conseguir fazer uma boa figura no primeiro Mundial em que participou, mas a comitiva estava longe, muito longe, de imaginar que iria fazer história. Até porque pela frente, na fase de grupos, tinha Bulgária, Hungria (seleção muito forte na altura) e o superfavorito Brasil de Pelé. Húngaros e brasileiros foram despachados com o mesmo resultado (3-1) e os búlgaros por 3-0.

Em 1966, Portugal participava pela primeira vez num Mundial de Futebol. A seleção dos magriços encantou todos com o seu futebol. E Eusébio tornava-se uma estrela mundial.

Ler mais

Exclusivos