Premium 89% dos deputados estão nas redes sociais

Os números da sessão legislativa mostram uma realidade que escapa às notícias. Deputados não alinhados? Os do PS. Temas em debate? Território e educação.

Há 10 anos, a 22 de julho de 2008, dava-se início às obras de remodelação da icónica sala das sessões da Assembleia da República (mais conhecida por hemiciclo), com o objetivo de melhorar e modernizar o local de reunião do plenário do Parlamento português. Uma década depois, a mesma Assembleia concentrou-se em modernizar a sua comunicação com aqueles que a observam para lá das suas paredes centenárias: não só foi criado um gabinete dedicado à comunicação na estrutura parlamentar como se deram por concluídos os trabalhos do grupo de trabalho do Parlamento digital, cujo produto final culminou na remodelação do portal oficial da Assembleia da República (cujo maior avanço foi claramente a criação de uma secção que possibilita a submissão, assinatura e acompanhamento online de petições, iniciativas legislativas dos cidadãos e iniciativas de referendo dos cidadãos) e o anúncio do reforço da presença do Parlamento nas redes sociais.

A presença nas redes sociais tem sido aliás uma das maiores apostas dos deputados para comunicar o seu trabalho e posições políticas - 89% dos parlamentares atualmente em funções possuem uma conta numa plataforma de comunicação online, com destaque para o Facebook (88%) e Twitter (46%). Uma ferramenta útil numa sessão legislativa em que se registaram 15 tomadas de posse de novos deputados (com alguns apenas a exercer o seu mandato temporariamente por alguns meses) e onde alguns parlamentares procuraram marcar uma posição que por vezes divergia daquela adotada pela sua bancada.

Ler mais

Exclusivos