Premium A fragilidade do PSD é um problema para a esquerda

Em teoria, a esquerda deveria estar satisfeita com as crises do PSD. Os princípios distintivos de um programa de esquerda - combater as desigualdades, reequilibrar o poder relativo de assalariados e empregadores, assegurar serviços coletivos públicos e universais, refrear a liberalização dos mercados - são hoje anátemas para o partido que ainda tem social-democrata no nome.

O eventual regresso do PSD ao poder virá sempre acompanhado da tentativa de alargar a lógica de mercado a cada vez mais esferas da vida em sociedade. A julgar pelas sondagens e pela turbulência persistente na Rua de São Caetano, esse cenário não está para breve. Isto deveria ser motivo de satisfação à esquerda.

Ler mais

Exclusivos