Premium Quem é o antigo fuzileiro que terá roubado as armas em Tancos?

Geria um bar em Ansião e vivia com a mulher e o filho de 2 anos. Em casa da avó materna escondeu armas, droga e dinheiro. Detido desde setembro, pode estar prestes a chegar a acordo com a justiça.

Os dois homens que conversam à porta da oficina em frente ao antigo restaurante Os Pegões, em Carregueiros, Tomar, não escondem a surpresa. Foi ali perto, no barracão anexo ao estabelecimento comercial da família de João Paulino, suspeito de ter sido o autor do roubo de armas em Tancos, em junho de 2017, que o ex-fuzileiro terá escondido o arsenal furtado. Foi daquela grande propriedade que também terão sido levadas as munições, granadas e explosivos, para um terreno baldio na Chamusca, a poucos quilómetros dos paióis de onde foram roubados, naquela que foi descrita como "a maior quebra de segurança a nível militar do século".

O dono da oficina nunca se apercebeu de movimentos suspeitos junto à propriedade da família de Paulino - considerada uma família abastada na região -, e não se lembra de se ter cruzado com ele ultimamente. Via-o muito quando Paulino era um rapazinho e frequentava o restaurante dos avós maternos. "Também já não o reconheceria, passou muito tempo", garante o mecânico, que não quis dizer o nome.

Ler mais