Premium Em 2014 a abstenção foi de 66%. Agora pode ultrapassar 70%

Recenseamento automático dos portugueses residentes no estrangeiro fez aumentar fortemente o número total de eleitores. Isto, só por si, bastará para atirar a abstenção para novos recordes.

Em 2014, ano das últimas eleições europeias, o número de eleitores portugueses registados no estrangeiro não chegava aos 245 mil (244 849). Porém, neste ano, por via de uma alteração legal - o recenseamento automático de todos os portugueses registados nos consulados portugueses no estrangeiro -, esse número subiu para quase um 1,5 milhões de eleitores (1 431 825).

O número total de eleitores subiu assim de cerca de 9,6 milhões de eleitores (9 696 481) para cerca de 10,7 milhões (10 791 156). Esta é uma evolução que tem tudo para empurrar a abstenção para valores nunca antes atingidos. Nas contas do DN, no mínimo 71,1% (ou seja, 7,6 milhões de eleitores ausentes das urnas).

Ler mais

Exclusivos