Exclusivo A América racista num filme com três nomeações para os Óscares

Se Esta Rua Falasse é uma adaptação do romance homónimo de James Baldwin por Barry Jenkins, o realizador de Moonlight - Óscar de Melhor Filme em 2017. Estamos perante uma obra que faz o elogio da pele negra. Chega nesta quinta-feira às nossas salas.

Foi o documentário I Am not Your Negro (2016), de Raoul Peck, que colocou de novo a voz do autor afro-americano James Baldwin (1924-1987) no espaço mediático. Quem viu este filme - que conta uma história do racismo nos Estados Unidos através dos escritos de um romance inacabado de Baldwin, lidos por Samuel L. Jackson - sabe do que estamos a falar. Inclusivamente, Peck dá aí a conhecer a própria presença pública de Baldwin, com arquivos que o mostram na sua fascinante eloquência, revelando um homem tão inspirado na faceta da oralidade quanto na dimensão literária.

É pois essa voz que está por trás do novo filme de Barry Jenkins, através de um romance de 1974 (editado recentemente em Portugal, pela Alfaguara) com muito a dizer sobre o que é isto de ser negro na sociedade americana, em qualquer época... Se Esta Rua Falasse centra-se num casal de jovens do bairro de Harlem: ele, Fonny (Stephan James), preso por um crime que não cometeu; ela, Tish (Kiki Layne), grávida dele e a fazer de tudo para o tirar da cadeia antes de o bebé nascer. Ele, único afro-americano numa fileira de suspeitos, foi apontado como o violador de uma mulher porto-riquenha; ela e a família arranjaram um igualmente jovem advogado idealista, e branco, para tentar fazer justiça num cenário em que tudo se vira contra a cor da pele do réu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG