Premium Manobra de Salvini esvaziada por Giuseppe Conte

PM demissionário pode suceder a si próprio e liderar uma coligação do Movimento 5 Estrelas sem a Liga de Matteo Salvini, que quer eleições.

O homem que arquitetou a crise política em Itália perdeu para já a batalha. Matteo Salvini, o líder da Liga, partido de extrema-direita `a frente nas sondagens, decretara o fim da coligação populista com o Movimento 5 Estrelas (M5E) ao anunciar uma moção de censura no dia 8. Mas a jogada não parece, para já, dar frutos. O primeiro-ministro Giuseppe Conte apresentou a demissão ao presidente Sergio Mattarella, mas antes rasgou em pedaços o caráter de Salvini. Este recuou e retirou a moção de censura, mas as pontes entre nacionalistas e antissistema parecem ter ruído. O cenário de um novo executivo dirigido pelo jurista e professor universitário, agora com a participação do Partido Democrático, é o mais desejado.

Essa hipótese é também a mais popular, segundo a média das sondagens de 14 meios de comunicação: 36% dos eleitores italianos querem um novo executivo que junte os dois partidos mais votados em março de 2018, Movimento 5 Estrelas e Partido Democrático. A chamada dos eleitores às urnas é a solução preferida para 22%, a renovação da coligação M5E-Liga recolhe 13% de respostas e a chamada coligação Ursula tem 12%.

Ler mais