Premium Chegou o mais pequeno e mais barato chip de inteligência artificial de sempre

Chama-se Mipy chip e é um chip pronto para caber em qualquer lugar que custa apenas um dólar.

O desafio de tornar os computadores em gadgets o mais pequenos possível é antigo. Em tempos aparelhos com pior processamento do que um smartphone atual ocupavam uma sala inteira. O Mipy chip entra nesta corrida por chips cada vez mais pequenos e, ainda assim, potentes e inteligentes.

Uma equipa de investigadores de Taiwan - da Universidade Nacional Taiwan Normal - juntou-se a uma empresa de design de circuitos integrados para desenvolver o novo chip. De acordo com a universidade, o chip em causa tem circuitos de inteligência artificial que permitem uma aprendizagem com o reconhecimento de imagens e pode ser utilizado em várias aplicações.

Do carro à casa, passando pela publicidade, educação, segurança, a promessa é de que este chip possa servir várias áreas, incluindo os sistemas policiais ou produtos industriais e brinquedos. Além de uma equipa de professores de engenharia da tal universidade de Taiwan e desenhado pela empresa AVSdsp, o preço de fabrico começa em apenas um dólar, dependendo da complexidade do chip. A ideia é que os fabricantes possam colocar este chip cooperativo próximo do chip que gere todo o sistema. Também pode ser construído dentro de um circuito que tenha funções de processamento primário de áudio e vídeo.

O chip low-cost deverá ficar disponível em breve e pode tornar bem mais baratos produtos com inteligência artificial na chamada Internet of Things.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...