Premium Apuramento para o Euro 2020. O arranque nunca foi o forte de Portugal

A seleção nacional estreia-se nesta sexta-feira com a Ucrânia na fase de apuramento para o Europeu de 2020. Desde 1960, nas qualificações, Portugal só venceu cinco dos primeiros jogos - empatou seis e perdeu três. Curiosamente, nas três últimas fases de qualificação nunca triunfou no primeiro jogo. Uma tendência para alterar nesta sexta-feira?

Portugal inicia nesta sexta-feira, com a receção à Ucrânia, no Estádio da Luz (19.45), a fase de qualificação para o Campeonato da Europa de 2020, prova que terá a particularidade de ser disputada em 12 cidades de 12 países diferentes. A seleção nacional entra em competição na qualidade de detentora do título, conquistado em 2016, em França.

A equipa das quinas vai tentar a sétima qualificação consecutiva para um Europeu, numa saga que começou em 1996, em Inglaterra. Mas a história das fases de qualificação para os campeonatos da Europa (desde 1960) mostra que Portugal sente algumas dificuldades no arranque. Nos 14 jogos de estreia (excetuando 2004, porque na qualidade de anfitrião entrou logo diretamente para a fase final), a equipa das quinas venceu cinco, empatou seis e perdeu por três vezes. Ou seja, não ganhou metade dos primeiros jogos disputados. E curiosamente, nas três últimas fases de apuramento, nunca conseguiu vencer. Aliás, na última, a campanha de Portugal começou com uma humilhante derrota caseira diante da Albânia, um resultado que custou o lugar a Paulo Bento e deu início à era de Fernando Santos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.