Premium 25 alentejanos à descoberta da capital da América

O mais novo tem 21 anos, o mais velho 92, mas todos os elementos do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento partilham o orgulho no cante alentejano. E desta vez levaram-no a Washington.

"Tu, tu e tu, venham aqui falar com esta menina!" A ordem parte de António Silva, o responsável pelo Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, e dirige-se aos três mais jovens elementos do grupo. Acabam de subir ao palco do Kennedy Center, onde apresentaram o cante alentejano a uma plateia em que os americanos pareciam tão rendidos a este género musical como os portugueses. João Batista tem 21 anos, Filipe Quaresma tem 28 e Nuno Arrais tem 31. Todos vivem em Vila Nova de São Bento (sim, já não é aldeia) e vieram agora à capital da América para a apresentação do Festival Terras sem Sombra que, neste ano, tem como país convidado os Estados Unidos. Uma estreia em terras americanas para uns, um regresso para outros.

O Rancho tem elementos mais novos ainda, mas estes foram os que acompanharam o grupo até à América, até porque depois de muito viajar pelo mundo os responsáveis do grupo já perceberam que nem sempre é fácil levar um menor com eles. Dos que vieram, muitos tinham já estado em Nova Iorque, em 2015, quando atuaram na sede da ONU. Alojados num hotel perto de Dupont Circle, a zona da Embaixada de Portugal em Washington, foram recebidos nos EUA com um nevão que paralisou ainda mais uma cidade já afetada pelo encerramento (o famoso shutdown) do governo. Aqui também, a estreia com tanta neve para uns, o reencontro com uma velha amiga para os elementos que viveram por exemplo em França ou na Suíça. Da América, todos partem orgulhosos pelo trabalho feito e com uma certeza reforçada: comida a sério é no Alentejo. Pão de forma, hambúrgueres ou café aguado não convencem os cantadores.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG