Premium Quando o pai é o agente: "Ninguém sabe o que nós passamos para ele ser jogador"

António Leão, pai de Rafael Leão (Milan), e Euclides Camacho, pai de Rafael Camacho (Sporting), explicam ao DN como é ser o agente dos filhos e lidar com a desconfiança alheia de estarem a viver à custa deles. De resto, defendem-nos até à morte.

São pais e agentes. Segundo eles, ninguém cuidará melhor da carreira dos filhos do que eles, por isso assumem a gestão do futuro dos filhos. Para uns são os melhores defensores que pode haver, para outros não passam de pessoas que vivem à custa dos filhos.

António Leão é pai de Rafael Leão, agora no Milan. Depois de uma má experiência com um empresário decidiu ser ele a agenciar o filho. Criou uma empresa e legalizou-se. Hoje é empresário FIFA e gere a carreira do filho com pulso firme. "Aos 12 anos, quando eu e ele precisávamos de apoio e de dinheiro, diziam que era cedo para apostar nele, depois aos 16 apareceram dezenas de empresários. Escolhemos um, mas não correu bem e hoje sou eu que faço esse papel, já sou agente FIFA e tenho uma empresa que agencia o Rafael e mais quatro atletas", contou ao DN.

Ler mais