Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

Estou a cortar nos sorvedouros de tempo, atrasar-lhes a hora. Conferências estéreis, pessoas chatas, reuniões inúteis, think tanks que são sink tanques, jantares e almoços de generalidades, fazer número, fazer alguns números, ser a carne do canhão do tempo dos outros, não fazer nada, papo para o ar, papar secas - está tudo em racionamento, entrou a troika do tempo. Só não cortei nas paradas militares porque nunca estive em nenhuma, nem vou estar em posição de estar. O Trump queria uma grande parada militar em Washington, mas também lhe cortaram as vazas, disseram quanto custava - 92 milhões - e o senhor desatou aos berros a dizer que era muito caro, que assim não brincava. E não devem ter contado o preço do tempo daquela gente toda naquele tempo todo ali, de um lado para o outro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.