Premium "Presente envenenado" de Trump no primeiro aniversário de Díaz-Canel no poder

Presidente cubano tomou posse a 19 de abril de 2018 com uma aposta na continuidade, após mais de meio século de liderança dos Castro. Quando cumpre um ano no cargo, recebe a notícia do agravar do embargo norte-americano a Cuba, numa represália pelo apoio a Nicolás Maduro na Venezuela.

"Nós, os cubanos, não nos rendemos", escreveu o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, no Twitter, em resposta ao "presente envenenado" que recebeu dos EUA em véspera de cumprir um ano no poder na ilha que durante mais de meio século foi liderada pelos irmãos Castro - primeiro Fidel e depois Raúl.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, anunciou que no próximo 2 de maio será ativado, pela primeira vez na história, o capítulo III da Lei Helms-Burton, que em 1996 reforçou o embargo dos EUA a Cuba (instaurado em 1960). O capítulo III permitirá a reivindicação perante os tribunais norte-americanos de propriedades expropriadas durante a Revolução Cubana - segundo o Departamento de Estado, há seis mil casos potenciais. Será também ativado o capítulo IV, que restringirá a entrada nos EUA aos atuais beneficiários ou operadores dessas propriedades.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.