Premium Crescimento "harmonioso" explica subida à Superliga Europeia

Atletismo português de regresso à elite europeia com forte contributo das várias disciplinas. "Isto representa o estado de saúde da modalidade", considera o presidente da federação, Jorge Vieira.

Os especialistas apontavam Holanda, Bielorrússia e Noruega como favoritos e remetiam Portugal para a luta pela permanência, mas uma jovem, talentosa e versátil seleção lusa sagrou-se campeã da Primeira Liga e garantiu a promoção à Superliga Europeia de atletismo, junto das principais potências continentais.
Numa competição por equipas, em que contavam os pontos de homens e de mulheres em 20 disciplinas, Portugal mostrou-se capaz nas várias vertentes e conquistou quatro primeiros lugares, dois em velocidade (Carlos Nascimento nos 100 metros e Lorène Bazolo nos 200 m), um nos saltos (Pedro Pichardo no triplo) e um nos lançamentos (Irina Rodrigues no disco).

Os sete segundos lugares também foram para todos os gostos, o que no entender do presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira, "é sinal de um desenvolvimento muito mais harmonioso do atletismo, considerando todas as disciplinas". "Recordo-me de ir para estas provas como diretor técnico nacional e praticamente só termos resultados de topo de classificação nas disciplinas de meio-fundo. Nas outras participávamos mas ficávamos nos últimos lugares", contou ao DN, sublinhando a vitória inédita de Irina Rodrigues no lançamento do disco e a qualificação de todos os atletas para as finais.

Ler mais