Premium Aconteceu em 1979 - A revolução islâmica estava nas ruas e o xá fugiu de Teerão

Reza Pahlavi deixou a capital do Irão e viajou para o Egito, em janeiro de 1979. Em França, Khomeini anunciava que iria regressar ao Irão para governar.

"O xá do Irão foi recebido no Egito antes de seguir viagem para os EUA" foi a manchete do DN a 17 de janeiro de 1979, que os dias seguintes não confirmaram totalmente, para surpresa do próprio Reza Pahlavi, o xá que governava o Irão desde 1941, após um golpe de Estado que depôs o seu pai. Com a agitação nas ruas de Teerão e o ayatollah Khomeini a anunciar, desde o exílio em Paris, que iria regressar a Teerão, o xá viajou para o Egito mas nunca iria conseguir o asilo político dos EUA.

Com Jimmy Carter na presidência, os americanos - que apoiaram o regime de Reza Pahlavi até 1979 - recusaram recebê-lo. O xá andou por Egito, Marrocos, Bahamas e México até poder entrar nos EUA, em outubro de 1979, para fazer tratamentos a um cancro. Mas semanas depois - já após o sequestro de dezenas de americanos na embaixada em Teerão, em que a extradição do xá era exigida como moeda de troca, o que não foi aceite pelos americanos -, Pahlavi era forçado a sair dos EUA. Foi para o Panamá e mais tarde para o Egito, onde então obteve asilo e onde acabou por morrer, no Cairo, em julho de 1980.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG