Premium Tanta coisa que aprendi com O Padrinho

O razoável romance de Mario Puzo faz 50 anos, mas isso não seria razão para emoção. Acontece que ele e o realizador Francis Ford Coppola, a música de Nino Rota, e Marlon Brando, John Cazale, Al Pacino, De Niro, Robert Duvall, juntos, fizeram um monumento do cinema. No dia em que o CCB exibe a trilogia, o que há para celebrar são as datas esdrúxulas de O Padrinho (1972), O Padrinho II (1974) e O Padrinho III (1990)... Sempre.

Lembro-me...

de Corleone, uma vila siciliana, perto de Palermo, Itália. Todos os lugares do mundo têm uma lista dos filhos da terra mais ou menos célebres. Na lista dos dez de Corleone, só Placido Rizzotto (1914-1948) não foi da Mafia. Sindicalista, foi morto por ela; os outros foram todos gangsters. E alguns deles poderosos, como Salvatore Riina, chefão da Mafia e assassino do juiz Giovanni Falcone. Isso entre as pessoas de carne, osso e pistolas reais, porque o natural de Corleone mais famoso do mundo é uma personagem de ficção. Miúdo, Vito Andolini viu toda a família abatida por um chefe de clã, fugiu da sua Corleone natal e foi para Nova Iorque. Quando lá chegou, trocou o patronímico familiar pelo nome da terra. Vito Corleone, que irá tornar-se Don Vito Corleone, O Padrinho. Na lista das dez mais famosas personagens da história do cinema.

Ler mais

Exclusivos