Premium Quem desafia as deportações em massa anunciadas por Trump?

Polícia, igrejas e hotéis estão apostados em desafiar as deportações em massa que Donald Trump anunciou. Entretanto, a administração norte-americana publicou regulamento que diz que imigrantes só podem pedir asilo nos EUA se os países por onde passaram antes, chamados países de trânsito, não lhes tiverem concedido esse estatuto.

Na sexta-feira, na Casa Branca, o presidente Donald Trump anunciou que iriam começar detenções em massa em várias cidades dos EUA, com vista à deportação de imigrantes ilegais condenados por crimes, para os seus países de origem.

"Vai começar no domingo. Vão tirar essas pessoas daqui para fora. Vão levá-las de volta para os seus países. Estamos centrados nos criminosos antes de podermos fazer mais alguma coisa", declarou o republicano, cuja administração argumenta que as leis sobre a imigração têm sido ignoradas e que é preciso ações robustas dada a resistência da oposição democrata em concordar com a aprovação de uma reforma profunda das leis da imigração.

Ler mais

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.