Exclusivo Emily Blunt: "Sim, tive medo de ser Mary Poppins, muito medo!"

É a atriz mais nomeada desta temporada de Hollywood. A britânica Emily Blunt é a ama mágica na sequela de Mary Poppins. O Regresso de Mary Poppins chega aos cinemas na quinta-feira.

O novo Mary Poppins, O Regresso de Mary Poppins, é como se fosse um espetáculo da Broadway. É claro que é uma sequela, mas Rob Marshall, o realizador, vai buscar toda a inspiração aos palcos dos musicais de Nova Iorque. E se já não há Julie Andrews, brilha Emily Blunt, robusta e com ar de ama ainda mais britânica. As suas nomeações aos SAG (os prémios do sindicato dos atores) em Um Lugar Silencioso, e neste, conferem-lhe um sorriso triunfal: "Quando soube que estava duplamente nomeada claro que celebrei", diz-nos e diz-nos mais: "Com tequilha, adoro tequilha."

Numa suite do Hotel Corinthia, Blunt enfrenta a imprensa com postura de Mary Poppins, de regresso das nuvens para salvar os ânimos da família Banks, onde as crianças cresceram, são pais e estão aflitos com dívidas à banca. Sim, desta vez, Mary Poppins fala de economia... A atriz britânica prefere antes falar do pavor que teve quando Rob Marshall endereçou o convite: "Sim, tive medo de ser a Mary Poppins, muito medo, embora soubesse que não se pode recusar uma oportunidade destas." Mas medo porquê? "Medo de não saber como iria conseguir fazer uma nova versão da personagem e conseguir ser diferente."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG