Premium PSD mantém em aberto devolução de nove anos, quatro meses e dois dias aos professores

Falhanço de iniciativa legislativa de cidadãos é a única certeza da discussão do tempo congelado agendada para esta terça-feira. Propostas de Bloco de Esquerda, PCP e PSD vão baixar à comissão especializada.

Apesar das diferenças notórias entre as propostas, o PSD não descarta um entendimento entre partidos, em sede de Comissão de Educação e Ciência, que permita consagrar a devolução aos professores dos nove anos, quatro meses e dois dias por estes reclamados, com a deputada Margarida Mano a defender ao DN que existem "pontos comuns" que tornam ainda "possível" o acordo.

A única certeza, em relação à discussão do tempo de serviço dos professores agendada para a tarde desta terça-feira, no Parlamento, é que deverá ser chumbado o projeto de lei resultante de uma iniciativa legislativa de cidadãos (ILC) defendendo a devolução imediata de todo o tempo. A iniciativa, nascida num grupo de docentes independentes dos sindicatos, em que foram recolhidas mais de 20 mil assinaturas, prevê a recuperação de todo o tempo de serviço congelado com efeitos a janeiro deste ano. Um cenário que, em declarações ao DN, Margarida Mano, vice-presidente da bancada social-democrata, confirmou não ser admissível para este partido.

Ler mais

Exclusivos