Premium EUA vs. Irão. Quem quer mais uma guerra no Médio Oriente?

Washington e Teerão trocam acusações embora ambos os lados afirmem não querer um conflito. Mas é um cenário que ganha preponderância depois de o presidente dos EUA a apontar o dedo ao Irão na sequência dos ataques a dois petroleiros.

"Foi o Irão que o fez e sabemo-lo porque vimos a embarcação." Na manhã seguinte ao secretário de Estado Mike Pompeo ter atribuído ao Irão a responsabilidade do ataque a dois navios-tanques no golfo de Omã, ocorrido poucas horas antes, Donald Trump reiterou a linha do Pentágono, apoiado num vídeo entretanto divulgado pelo destroyer USS Bainbridge. Em conversa telefónica no programa Fox & Friends, o presidente dos Estados Unidos não avançou sobre como a administração irá reagir. "Vamos ver. Não encaramos isto de ânimo leve", disse.

O vídeo em questão mostra uma embarcação acostada a um petroleiro e vários homens em movimento. Segundo os Estados Unidos, as imagens mostram os iranianos Guardas da Revolução a retirar uma mina que não explodiu no casco do navio japonês Kokuka Courageous. O que prova, na ótica norte-americana, a responsabilidade de Teerão nos ataques. Para o Bellingcat, site de jornalismo de verificação de factos baseado em fontes abertas, o filme é coerente com as fotografias e imagens de satélite; a embarcação é similar às lanchas rápidas usadas pelos Guardas da Revolução; e as imagens parecem mostrar marinheiros a extraírem um objeto. No entanto, "deve-se salientar", lê-se, que se desconhece "a motivação para remover o objeto".

Ler mais

Exclusivos