Final de Moscovo fará sorrir um guerreiro ou um patriota

Luka Modric, 32 anos, cresceu em plena guerra dos balcãs. Adolescente Kyllian Mbappé, 19 anos, é pretendido por meia Europa mas teima em não querer deixar o país onde nasceu. Quem fará história neste Mundial 2018?

São as grandes figuras deste Rússia 2018. Luka Modric, 32 anos, médio da Croácia, e Kyllian Mbappé, o avançado do Paris Saint-Germain que, aos 19 anos, parece não ter limites.

É curioso como a vida destes dois futebolistas é tão antagónica. Mbappé foi concebido por uma argelina e um camaronês. Nasceu em Bondy (cidade geminada com Alcácer do Sal), nos arredores de Paris, cinco meses depois do título mundial da França e teve uma vida normal, ajudado pelo pai, treinador das camadas jovens da Association Sportive de Bondy.

Luka Modric tinha 13 anos quando Mbappé nasceu e, nessa altura, já ultrapassara obstáculos que mostram a capacidade de superação do capitão croata.

Com 6 anos, Luka viu rebentar a guerra dos balcãs. O pai alistou-se no exército croata e o seu avô paterno foi assassinado pelos rebeldes sérvios, em Obrovac, na casa de família.

Para sobreviver, Luka e a mãe percorreram bosques e montanhas até chegarem à cidade de Zadar, onde encontraram refúgio. Ao pequeno Modric era explicado que não se podia afastar do Hotel Iz, onde habitava, pois podia pisar alguma mina terrestre.

A sua rotina diária era jogar à bola. Foi com as acrobacias que fazia nos corredores do hotel que o seu nome chegou aos ouvidos de Josip Bajlo, treinador do NK Zadar, que nem hesitou em levá-lo para o clube. "Quando a guerra começou, tornámo-nos refugiados. Tinha 6 anos, lembro-me bem desses tempos. Vivi num hotel muitos anos, tínhamos dificuldades. A guerra tornou-me mais forte e é algo que não quero carregar comigo para sempre, mas também não quero esquecer", referiu Modric ao The Guardian.

Aqui, Modric não dá relevo às condições em que vivia mas Tomislav Basic, chefe de recrutamento do NK Zadar, recorda-se de que a família de Modric "era muito pobre, sem dinheiro para material". Basic, na altura, tomou uma decisão sensata: "Guardei as caneleiras de madeira até hoje, sabia que ele ia ser um grande jogador."

Para a história fica a rejeição do Hajduk Split, quando Luka tinha 10 anos, e a contratação por parte do Dínamo Zagreb. Depois é o que se sabe; Tottenham, Real Madrid, por imposição de Mourinho, e agora, além de quatro Ligas dos Campeões, está a um passo de ajudar uma nação com quatro milhões a sagrar-se campeã mundial.

Quando Modric assinou pelo Tottenham em 2008, Mbappé tinha 10 anos e já fazia os que o rodeavam abrir a boca de espanto.

Tinha os pais atentos à sua educação, de tal forma que quando começou a dar menos atenção à escola a mãe colocou-o numa escola particular e Killyan (re) entrou nos eixos. Já sob a vigilância da Federação Francesa, com 14 anos tinha meia Europa atrás de si, mas os pais escolheram o clube interessado mais perto de casa, o Mónaco. O Real Madrid, através de Zidane, convidou-o a visitar a capital espanhola. Assim aconteceu e Mbappé tirou uma fotografia com Ronaldo, que mais tarde ampliaria e daria destaque no seu quarto. Na altura já idolatrava o português, Hazard e o seu atual colega Neymar.

No verão de 2014, o Mónaco contratou Leonardo Jardim e a vida de Mbappé nunca mais foi a mesma. Explodiu sob a orientação do madeirense e na hora de passar para um nível superior voltou a negligenciar o chamamento do estrangeiro, preferindo voltar a casa, tendo assinado pelo Paris Saint-Germain. Aos 19 anos entra com Modric nas contas da Bola de Ouro, mas antes há um Mundial para ganhar. O problema é que só um deles sorrirá.

Ler mais

Exclusivos