Exclusivo Procurações atmosféricas complicadas

A Procuradora, não a ex nem a atual mas a única, a verdadeira, a da SIC, é aqui abordada . E logo a seguir fala-se de W.C. Fields no Alasca. E essa é uma das razões de o DN publicar o Casanova.

Um fenómeno atmosférico de grandes dimensões aproximava-se do território nacional. A SIC foi anunciando a chegada com curtos, mas ominosos, spots promocionais: "Procura... além da notícia rápida e seca... Procura... o que se esconde nas meias-verdades..." Girando no sentido dos ponteiros do relógio, obedecendo à força inercial de Coriolis (e a mais nenhuma!), o fenómeno prosseguia a sua marcha. "Procura... as contradições... Procura... as respostas que afinal ninguém deu..." A energia libertada pela condensação de publicidade vaporosa provocou um ciclo de retroalimentação positiva sobre as águas requentadas do comentário televisivo. "Todas as semanas, a Procuradora vai... procurar os mais variados temas... Procurar o que a espanta... ou deixou indignada... ou com esperança...". Foi só prestes a chegar à costa que o cone de incerteza colapsou, e o fenómeno foi rapidamente despromovido a depressão pós-tropical: "Manuela Moura Guedes procura respostas... enquanto levanta questões." As respostas foram procuradas segundo dois dos modelos habituais neste formato, o modelo "Havia quem dissesse que x" e o modelo "Há quem pense que x, mas afinal y". Quem pensou x estava errado, enquanto a Procuradora (que sempre pensou y) estava correcta.

Um dos temas abordados foi o caso de Cristiano Ronaldo, no qual a Procuradora procurou e encontrou a seguinte conclusão: "É complicado." "Há uma coisa que as pessoas têm de ter ciente", anunciou, explicando de seguida as coisas que as pessoas têm de ter ciente. Os modelos seguidos foram os também populares "As pessoas querem x" e "As pessoas devem y", sendo que x e y se encontram por vezes em contradição, porque - porque "de facto isto é muito complicado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG