Premium Jean-Michel Basquiat: um miúdo sem-abrigo no Lower East Side

Realizado por Sara Driver, Boom for Real: A Adolescência Tardia de Jean-Michel Basquiat é um documentário à procura do artista na paisagem nova-iorquina do final dos anos 1970. Estreia-se hoje.

Atente-se na seguinte situação: há um cenário rocambolesco, feito de diversa parafernália, montado sobre um palco. No interior desta estrutura idealizada e concebida pelo baterista, os restantes elementos da banda organizam-se de forma a tirar o máximo proveito criativo do espaço, para divertir o público. Estava tudo planeado. Quando chega o único músico que faltava - sem saber nada do plano - volta para trás e em poucos minutos reaparece com uma simples caixa de madeira na mão, enfia-se lá dentro, põe a cabeça de fora, sorri e torna-se o centro das atenções do espetáculo... O seu nome, Jean-Michel Basquiat. O da banda, Gray. E este é apenas um dos episódios que revelam a espontaneidade do artista self-made.

A história é contada em Boom for Real: A Adolescência Tardia de Jean-Michel Basquiat, e o primeiro elogio que se pode tecer ao documentário de Sara Driver tem precisamente que ver com a orientação para o olhar do grupo (mais do que o exemplo da banda, que é transitório, um coletivo geracional). Fala-se do indivíduo sempre em contexto, isto é, em relação direta com a conjuntura histórica e o ambiente artístico que o moldou - algo que, importa sublinhar, vai escasseando nos filmes documentais biográficos, geralmente empenhados em colar-nos à pele da personalidade retratada, reduzindo a efeito decorativo o "ar do tempo" em que esta emergiu.

Ler mais

Exclusivos