Premium Sánchez não cede aos catalães e planeia antecipar eleições após derrota esperada no Orçamento

No mesmo dia do início do julgamento dos independentistas, governo espanhol rejeitou a possibilidade de pôr na agenda política o direito à autodeterminação exigido pelos catalães que, desta forma, recusam apoiar o Orçamento. Em face da derrota esperada, aposta do primeiro-ministro será numa ida antecipada às urnas.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, deverá anunciar nesta quarta-feira a antecipação das eleições espanholas, caso se confirme a derrota esperada na votação do Orçamento de Estado de 2019. No primeiro dia de debate no Congresso, que coincidiu com o primeiro dia do julgamento dos dirigentes independentistas catalães, a ministra das Finanças, María Jesús Montero, deixou claro que o executivo não vai "ceder à chantagem" dos partidos independentistas, que fizeram depender a aprovação do Orçamento da abertura de conversações sobre a autodeterminação da Catalunha.

"Peço-lhes que reflitam e aprovem este Orçamento. Se atuam de outra maneira vão cometer um erro histórico pelo qual vão ter de dar explicações aos catalães", disse a ministra, dirigindo-se aos representantes da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e do Partido Democrata Europeu da Catalunha (PDeCAT), que devem votar a favor de seis emendas que preveem a devolução do Orçamento ao governo.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG