Triplo-duplo mortal: o movimento inédito de Simone Biles que está a impressionar o mundo

A ginasta venceu pela sexta vez o campeonato nacional de ginástica artística dos Estados Unidos.

Durante o campeonato nacional de ginástica artística dos Estados Unidos, no Kansas, a campeã olímpica conseguiu não só ganhar mais um título como, ainda, realizar dois movimentos inéditos nas provas femininas. A norte-americana Simone Biles, de 22 anos, confirmou assim que é a melhor ginasta da atualidade.

No solo, Biles conseguiu, no domingo, fazer um triplo-duplo mortal com uma receção perfeita (já havia tentado fazer este movimento no primeiro dia mas tinha-se desequilibrado na receção e tinha colocado as mãos no chão):

Na sexta-feira, Biles já tinha sido a primeira atleta a conseguir fazer, sem falhas, um duplo mortal com dupla pirueta na saída da trave. Este é um movimento que algumas atletas realizam no solo mas que nunca tinha sido feito na saída deste aparelho:

E, terminado o fim de semana, Biles era a primeira mulher em quase 70 anos a ganhar seis títulos "all-around" (individual geral) nos campeonatos americanos. Algo que só tinha sido alcançado por Clara Schroth Lomady (que ganhou seis vezes entre 1946 e 1952). No total, este fim de semana Simone Biles ganhou quatro dos cinco títulos possíveis: individual geral, solo, salto e trave. Nas barras assimétricas ficou em terceiro lugar, atrás de Sunisa Lee e Morgan Hurd.

Apesar de tudo, a ginasta não estava muito satisfeita com a sua prestação ao longo do campeonato porque cometeu vários pequenos erros que lhe foram retirando pontos. "Estou quase tão bem como estava em 2018", admitiu. "É óbvio que ainda vai demorar um pouco para voltar àquele nível mas estamos a começar esta caminhada."

A caminhada irá levá-la aos campeonatos do mundo de ginástica artística, em outubro, em Estugarda (Alemanha), e, no próximo ano, aos Jogos Olímpicos de Tóquio (Japão).

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.