CGD caiu para quarto banco em número de balcões

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) já teve a maior rede de balcões bancários em Portugal, entre os principais bancos do país. Agora o banco público ocupa a quarta posição no ranking.

Elisabete Tavares
O banco público é liderado por Paulo Macedo.© Tony Dias/Global Imagens

O fecho de balcões imposto na sequência da recapitalização da CGD e a integração do Banco Popular no Santander Totta levou a uma mexida de posições.

Por outro lado, todo o setor tem vindo a redimensionar a rede de agências face ao baixo nível de taxas de juro e magra rentabilidade e perante a crescente oferta e procura de serviços bancários digitais.

Incluindo a rede do Grupo Crédito Agrícola (CA), no final de 2017 a CGD ainda tinha a terceira maior rede de agências, com um total de 587 balcões.

O fecho de 65 balcões do banco estatal no primeiro semestre de 2018 atirou a CGD para a quarta posição, atrás do Santander, Grupo CA e Millennium BCP. A CGD fechou junho com 522 balcões, abaixo dos 662 balcões do líder Santander, das 656 agências do Grupo CA e dos 573 balcões do BCP, segundo dados dos bancos.

O banco público, liderado por Paulo Macedo, tem vindo a implementar um plano estratégico acordado com Bruxelas em 2016. Desde o final desse ano, o banco fechou cerca de sete agências por mês. Apesar dos encerramentos, a Caixa é o banco com maior número de funcionários: 7903.

[HTML:html|balcoes.html|640|1240]

O plano prevê o fecho de balcões, a redução do número de trabalhadores e a venda de ativos detidos no exterior. No primeiro semestre de 2018, o banco passou de prejuízos a lucros de 194 milhões de euros.

O Novo Banco terminou março com 448 balcões mas entretanto já tem vindo a encerrar agências. O banco reporta em breve os resultados do primeiro semestre.

Quanto ao Banco BPI, fechou o semestre com menos oito balcões face a dezembro: 423 agências.

Os principais grupos bancários em Portugal encerraram neste ano mais de cem balcões, valor que exclui os encerramentos efetuados pelo Novo Banco, que ainda não divulgou dados referentes a junho.

A seguir à CGD, foi o Grupo CA o que registou o maior número de balcões encerrados desde dezembro: 13. Santander e BPI registaram o fecho de oito agências, respetivamente, e o BCP encerrou cinco balcões.

O Caixa Económica Montepio Geral assinala a existência de 321 balcões na sua rede, menos três do que os que registava no final de dezembro.