Premium Dino Zoff, lenda da Juventus, aprova CR7: "Ronaldo é um dos grandes da história"

Antigo guarda-redes do clube de Turim e do futebol italiano acredita que o internacional português pode devolver o glamour à Serie A

Com 330 jogos pela Juventus, Dino Zoff é uma das figuras históricas do clube italiano, no qual ganhou seis scudettos, duas Taças de Itália e uma Taça UEFA, entre 1972 e 1983, além de ter marcado presença em duas finais da antiga Taça dos Campeões Europeus.

O antigo guarda-redes, que ainda detém o recorde de jogador mais velho a jogar e conquistar uma final do campeonato do mundo (em 1982, com 40 anos), também ganhou ainda mais uma Taça de Itália e uma Taça UEFA com a vecchia signora, enquanto treinador, na época 1989-90.

Ronaldo pode dar o que tem dado sempre, em todas as circunstâncias: muitos golos

Em conversa exclusiva com o DN, por telefone, Dino Zoff, atualmente com 76 anos, vê com expectativa a contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus e acha que ambos (clube e jogador) têm bastante a ganhar com este acordo para os próximos quatro anos.

A Juventus, diz o também antigo selecionador italiano (finalista do Euro 2000), ganha um dos melhores futebolistas da história, que pode dar um contributo decisivo para a desejada conquista da Liga dos Campeões. E Ronaldo ganha um clube ideal para continuar a ganhar títulos e troféus.

Como vê a contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus por uma verba recorde em Itália?

Acredito que para a Juventus é uma contratação importante. A Juventus é um grande clube, inserido num contexto de uma grande empresa, e poder contratar alguém como Cristiano Ronaldo é um sinal de vitalidade para uma equipa que luta sempre para ganhar, seja em Itália ou na Europa, onde tem o objetivo de conquistar a Liga dos Campeões.

O que pode dar Cristiano Ronaldo, nesta altura, à Juventus?

Pode dar o que tem dado sempre ao longo da carreira, em todas as circunstâncias: muitos golos.

E a Juventus a Cristiano, o que pode oferecer-lhe nesta fase da carreira?

A Juventus dá-lhe a estabilidade e o estatuto próprio de uma grande sociedade, para continuar a vencer títulos e eventualmente prémios.

Aos 33 anos, Cristiano Ronaldo ainda pode ir a tempo de se tornar um dos grandes nomes da história da Juventus?

Acredito que sim. Ele tem um currículo extraordinário e pode ainda prolongar a sua carreira de sucesso na Juventus. É um dos grandes da história e será certamente um nome marcante para a Juventus.

Era a peça que faltava ao clube para a tão desejada conquista da Liga dos Campeões?

Bom, isso não depende só dele. Mas se algum jogador pode dar esse contributo decisivo será Cristiano, por tudo aquilo que tem conseguido na competição.

E que importância pode esta transferência ter também para a Serie A italiana?

Para o campeonato italiano é muito importante. Há muito anos que a Serie A não conseguia atrair os melhores jogadores e a vinda do Cristiano Ronaldo contribui para abrir de novo essa "estrada".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.