Megaoperação policial para apanhar homem que atacou a tiro mercado de Natal

Balanço oficial indica três mortos e 12 feridos. Atirador estará ferido e já estava referenciado pelas autoridades. Eurodeputados retidos durante horas

Um homem identificado como Chérif Chekatt, nascido em fevereiro de 1989, disparou junto ao mercado de Natal em Estrasburgo, França, matando pelo menos três pessoas e ferindo outras 12 pessoas - seis das quais em estado grave, segundo o ministro do Interior, Christophe Castaner -, esta terça-feira, pelas 20.00 (hora local, menos uma hora em Lisboa). Num balanço anterior, o presidente da Câmara tinha antecipado quatro mortos.

De acordo com as últimas informações, a polícia pediu aos residentes da zona de Neudorf e da Praça de l'Étoile para permanecerem nas suas casas ou confinadas aos locais onde estão. O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ativou entretanto a célula interministerial de crise.

Numa declaração feita pelas 2.17 de quarta-feira (1.17 em Lisboa), o ministro do Interior, Christophe Castaner, que se deslocou para Estrasburgo ainda na noite de terça-feira, deu conta da operação em curso, para tentar deter o atirador, anunciou o reforço do controlo das fronteiras e uma atenção especial das forças de segurança aos mercados de Natal existentes por toda a França, para evitar outros "ataques por mimetismo".

Segundo o ministro, estão 350 pessoas mobilizadas no terreno, dos quais 100 membros da polícia judiciária, e dois helicópteros. E foram levados "meios complementares" para Estrasburgo.

A edição online do jornal de Estrasburgo L'Alsace a polícia cercou um prédio, no n.º 5 da rue d'Epinal, no bairro de Neudorf, para onde agentes gritaram, eventualmente dirigindo-se ao suspeito, que terá atuado sozinho : "Não te serve de nada esconderes-te!". Depois deste aviso, a polícia arrombou a porta do edifício, onde decorre a operação policial.

Numa nova atualização, o jornal deu conta que a operação foi infrutífera. Os agentes passaram a pente fino os números 3, 5 e 7 da rua, sem sucesso. As buscas mantêm-se.

A polícia evacuou o centro da cidade, nomeadamente nas ruas des Orfèvres, des Grandes-Arcades e Grand'Rue. De acordo com o L'Alsace, o atirador começou por abrir fogo na rue des Grandes-Arcades e fugiu para a Grand'Rue onde terá havido mais tiros.

Tentaram prendê-lo

Segundo o Le Figaro , o atirador iria ser detido esta terça-feira de manhã pela polícia, mas não o encontraram no seu local de residência, de acordo com uma fonte conhecedora do seu dossiê.

Já de acordo com o L'Alsace, o indivíduo de 29 anos, responsável pelo ataque, é originário de Hohberg, no bairro de Koenigshoffen, em Estrasburgo, onde decorrem também operações. O homem foi condenado em 2011 a dois anos de prisão, por agressão com arma. O ministro confirmou que o homem era "bem conhecido" das autoridades e foi alvo de várias condenações em França e na Alemanha.

A Câmara de Estrasburgo decidiu que o mercado de Natal ficará encerrado esta quarta-feira. O presidente da autarquia decretou um dia de luto. Todos os espetáculos foram cancelados. Os estudantes das escolas básicas e secundárias da cidade estão dispensados de se deslocarem para os estabelecimentos de ensino, que no entanto permanecerão a funcionar, anunciaram as autoridades.

A hipótese de um atentado terrorista é colocada por fonte policial, de acordo com o L'Alsace. O atirador será um "ficher S", um elemento radicalizado que está identificado pela polícia, com 29 anos.

Segundo a publicação no Twitter de um assessor português da eurodeputada Maria João Rodrigues, a polícia pediu a deputados e funcionários que permanecessem no interior dos edifícios do Parlamento Europeu, onde decorre a semana de trabalhos, com a sessão plenária, na cidade francesa (o que acontece uma vez por mês).

Vários deputados foram dando conta ao longo da noite que estavam bem e que se encontravam confinados ao Parlamento Europeu, até que a polícia autorizasse a sua saída e circulação na cidade. Muitos dos principais hotéis de Estrasburgo situam-se na zona central onde decorreu o ataque.