Premium Mini sobre o Fernando Pessoa do imperialismo americano

Como Fernando Pessoa Salvou Portugal é uma gloriosa curta-metragem que chega hoje aos cinemas. Comédia com piadas delicadas sobre um Portugal da ditadura e um poeta a fazer slogans para o "imperialismo americano".

Numa semana em que há mais de dez filmes a chegarem aos cinemas, talvez seja essencial não deixar escapar um minifilme (é assim que tem sido descrito). Chama-se Como Fernando Pessoa Salvou Portugal, de Eugène Green, e é uma curta-metragem que foge das amarras da sua duração. É cinema puro, duro e gracioso. Um filme, mini ou não, que apetece abraçar - o melhor trabalho do mais português dos cineastas lá de fora. O franco-americano Eugène Green, que é sempre irregular (o "português" A Religiosa Portuguesa, de 2009, era até à data o seu melhor cartão-de-visita no que toca a abordagens ao nosso país), finalmente parece ter encontrado o tom certo do seu cinema todo aperaltado em vénias a Manoel de Oliveira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Geopolítica

5 anos. A Crimeia é russa mesmo que Ocidente não goste

Em março de 2014, no auge da rebelião na Ucrânia que derrubou o regime pró-russo de Viktor Ianukovitch, forças russas ocupavam a Crimeia e Moscovo decretava a 18 a anexação da península e a sua plena integração na Federação Russa. Era o início de uma crise que, cinco anos depois, continua a envenenar as relações entre a Rússia e o Ocidente.