iMaginação

Não devia ter mais de 5 ou 6 anos, vi-o da janela das traseiras, que dá para um logradouro partilhado por muitos prédios. O miúdo estava sentado no chão e brincava com um bonequinho enquanto a avó estendia a roupa e passava a ferro. Fui espreitando de tempos a tempos e vi o boneco a voar, a contar histórias e até a olhar para mim, como se perguntasse a quem pergunta.

Não sei que enredos passaram pela cabeça do garoto, provavelmente aventuras com super-heróis ou lutas épicas contra monstros, ouvi-o fazer vozes diferentes, ora graves ora agudas, assisti aos gestos e aos espantos. Quantas personagens para um único boneco? Quantas ideias na cabeça daquela criança? Não o vi mexer em iPhones ou iPads, talvez não os tenha ou a avó os esconda, talvez o menino vá buscar à nuvem da infância todos os jogos de que precisa.

Escritor

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.