DN+ Os nove leões que rescindiram: quem volta, quem já saiu e quem ainda não sabe

Quase dois meses depois do que se passou em Alcochete e das rescisões que começaram a chegar a 1 de junho, Bruno de Carvalho saiu, as eleições foram marcadas e apenas um futebolista aceitou regressar

O mundo leonino começou a desabar a 15 de maio com o ataque a Alcochete, mas alguns alicerces caíram mesmo quando a primeira carta, assinada por Rui Patrício, chegou a 1 de junho. Depois chegaram mais oito, devidamente rubricadas pelos jogadores com mais mercado. De lá para cá saiu Bruno de Carvalho e voltou Bruno Fernandes, o principal alvo da atual SAD, nas palavras de Sousa Cintra, no que respeita a regressos. Rui Patrício e Daniel Podence saíram para o Wolverhampton e para o Olympiacos, respetivamente, sem que se conheça qualquer acordo com o Sporting. Aliás, Sousa Cintra disse no dia 3 de junho, na SIC, que Bruno Fernandes e Podence iam regressar e que o Sporting iria receber os milhões do Wolverhampton. Afinal, destas três garantias apenas uma se concretizou, o que pode indiciar algum mal-estar com Jorge Mendes, representante de Podence e agente que mediou a aquisição de Patrício por parte do clube inglês.

Estão por resolver seis casos, veremos se mais algum regressa a Alvalade.

Rui Patrício

Foi o primeiro a rescindir e aquele que desencadeou a onda de rescisões alegando justa causa. A sua carta serviu de base para todos os outros colegas, com exceção de Battaglia, sendo nela pormenorizados muitos detalhes sobre tudo o que sucedeu antes, durante e depois do ataque de Alcochete, ocorrido a 15 de maio. A 18 de junho o Wolverhampton anunciou a sua contratação e um vínculo de quatro anos. Sousa Cintra disse na SIC, na semana passada, que o Sporting ia receber os 18 milhões de euros que tinham sido acordados com Bruno de Carvalho (que se recusou a pagar sete milhões em comissões a Jorge Mendes para finalizar o negócio). Entretanto, alguma coisa se terá passado, pois o clube britânico afirmou publicamente a disponibilidade de dialogar "com o Sporting ou com as autoridades". Como o anunciado acordo de 18 milhões de euros continua sem ser uma realidade, o Sporting avançou para os tribunais pedindo uma indemnização de 54 milhões de euros.

Daniel Podence

Foi o segundo jogador a rescindir e o único oficialmente representado por Jorge Mendes. Apresentou a rescisão no mesmo dia que Rui Patrício, cuja saída para o Wolverhampton estava a ser intermediada por Jorge Mendes. Após muitos rumores, assinou pelo Olympiacos, com o clube grego a assumir uma indemnização futura. Sousa Cintra, na mesma entrevista à SIC em que disse que esperava o dinheiro por Rui Patrício, deu quase como garantido o regresso de Daniel Podence a Alvalade. Isso não só não aconteceu como o avançado de 22 anos publicou uma mensagem nas redes sociais a dizer que o capítulo leonino estava definitivamente encerrado.

William Carvalho

O médio enviou a rescisão quando já se encontrava em solo russo com a seleção nacional - o método de William foi em tudo idêntico ao Bruno Fernandes e de Gelson. Considerado por Bruno de Carvalho, juntamente com Rui Patrício, como um dos instigadores do balneário por desejar a saída há muito, William nunca terá ponderado o regresso a Alvalade para jogar. Para voltar de modo a ressarcir o clube sim, para jogar não. Independentemente do regresso de Bruno de Carvalho ao clube. Foi um dos futebolistas que se valorizaram na Rússia, por ser um dos indiscutíveis de Fernando Santos. Quanto a interessados, o Inter de Milão foi o primeiro a aparecer com uma proposta muito baixa (dez milhões de euros mais três jogadores). Mais tarde, surgiu o Bétis, que está disposto a fazer um esforço pelo internacional português e o interesse já foi, inclusivamente, assumido pelos andaluzes. O Sporting pede um mínimo de 25 milhões de euros. Enquanto as negociações prosseguem, Sporting e William têm a indicação de que o Mónaco pode intrometer-se a qualquer momento. E o principado é mais do agrado do jogador, pois podia reencontrar o treinador que apostou no seu talento em Alvalade, Leonardo Jardim.

Gelson Martins

Tinha uma cláusula de 60 milhões de euros mas a campanha no Mundial não justificou o facto de estar sinalizado pelos grandes clubes europeus. Terá sido seduzido pelo Benfica, mas prefere rumar ao estrangeiro, onde o Atlético de Madrid parece disposto a chegar a um entendimento financeiro com os leões e ainda a ceder por empréstimo o avançado Luciano Vietto e, a título definitivo, o guarda-redes André Moreira. Em pleno Mundial foi associado ao Arsenal e à Lazio, mas o interesse destas duas equipas terá caído por terra. Sousa Cintra ainda tentou o seu regresso para ser integrado no plantel às ordens de José Peseiro, mas o extremo deixou bem claro que tal não entrava nas suas opções. Vai sair, provavelmente, para o Atlético de Madrid, veremos se com a bênção do Sporting.

Bruno Fernandes

Regressou a Alvalade para jogar e garantiu publicamente que o seu ordenado não foi melhorado e que tinha clubes dispostos a responsabilizarem-se pela cláusula de rescisão de cem milhões de euros, que no novo contrato, que vai agora até 2023, não foi mexida. Foi cobiçado pelo Benfica, seria talvez o futebolista que Luís Filipe Vieira mais desejava ter na Luz e pelo qual estava disponível a fazer uma "pequena loucura", como disse numa assembleia geral, sem mencionar o atleta de 23 anos. Muitos foram os clubes mencionados como interessados no melhor futebolista da última edição da I Liga, como Tottenham, Roma, Atlético de Madrid e West Ham, mas o seu destino, com surpresa, acaba por ser o Sporting, ficando por se saber se este regresso não fragiliza os restantes colegas que também rescindiram. Resta saber como será a reação dos adeptos... e dos colegas.

Bas Dost

Tem-se remetido a um silêncio ensurdecedor. De apaixonado por Lisboa e pela vida que levava à ideia fixa de abandonar o Sporting foi um passo depois do ataque à Academia de Alcochete. As marcas das agressões e as lágrimas do holandês correram mundo e a verdade é que pareceu muito afetado na final da Taça de Portugal. Foi de férias e delegou tudo nos seus advogados e representantes. Antes de ter entrado com a rescisão unilateral, Sporting e Newcastle negociavam a transferência do holandês. Depois da rescisão o Sevilha apresentou uma proposta muito baixa, que não chegava aos dez milhões de euros, e agora, mais recentemente, foi o Fenerbahçe a revelar-se entusiasmado na possibilidade de ter o avançado de 29 anos como reforço. Para já, não há fumo branco, mas fica no ar que Sousa Cintra ainda não desistiu de fazer voltar o goleador...

Rúben Ribeiro

Foi talvez a rescisão mais inesperada, por ter pouco mais de seis meses de clube e também porque não era dos mais mediáticos nem com mais mercado. Bruno de Carvalho chegou até a mostrar uma mensagem muito cordata do extremo que custou cerca de 400 mil euros em janeiro ao Sporting quando o contratou ao Rio Ave. Já se falou no Nantes de Miguel Cardoso, de clubes turcos, mas será o emblema gaulês a chegar-se à frente com um milhão de euros para ressarcir o Sporting e, assim, tudo acabar em bem para todos. E, inclusivamente, com lucro para os leões.

Rodrigo Battaglia

Era um dos alvos dos invasores da Academia juntamente com o compatriota Acuña, que não rescindiu. Só quebrou unilateralmente a ligação no último dia em que legalmente o podia fazer e numa altura em que o seu empresário já tinha apresentado diversas propostas. A mais alta era de oito milhões de euros e o Sporting recusou, pois antes dos incidentes já tinha fixado o preço em 20 milhões de euros. O Sevilha e o Villarreal são dois dos clubes que têm mostrado mais entusiasmo em contar com o médio defensivo, que numa primeira reação não afastou a possibilidade de se manter em Alvalade, mas depois, ainda na Argentina, explicou que queria sair por temer pela segurança da família.

Rafael Leão

Estava no balneário da Academia quando se deram os tristes acontecimentos e até reconheceu um dos invasores por ser um antigo colega de escola. Jesus apostou intermitentemente no seu talento e deu-se bem, pois o jovem avançado marcou um golo no Dragão quando saiu do banco para render o lesionado Doumbia. Nos últimos dias antes do prazo legal para rescindir teve conversas que deixaram Bruno de Carvalho esperançado na sua permanência, mas no último dia enviou mesmo a carta de rescisão. O DN noticiou que o Benfica fez um forcing final muito forte pelo avançado mas este terá recebido ameaças de tal forma que rumou ao Norte, onde manteve a condição física. O Borussia Dortmund é o mais recente clube conotado ao avançado, que não parece que vá ter uma saída limpa de Alvalade.

Ler mais

Exclusivos