Premium Uma foto com Shawn Mendes ou ir ao museu quando quiser: a oferta VIP na cultura

Está disponível para pagar mais e ter acesso a oferta exclusiva na cultura em Portugal? Há algumas opções ao dispor nos museus, cinemas e espetáculos.

Em março de 2019, Inês e Tiago, os filhos adolescentes de Sílvia Martins vão encontrar-se com Shawn Mendes, na Altice Arena - pela segunda vez. Sempre que pode, a advogada gosta de proporcionar estes momentos aos filhos, ainda que tenha de desembolsar 400 euros por cada bilhete para o espetáculo e para o meet and greet - assim se chamam estes momentos em que os fãs convivem de perto com os seus ídolos. Os dois jovens já estiveram com o músico em 2017 e vão voltar a estar para o ano. «Foi espetacular», diz a mãe, explicando que entraram por um local diferente da multidão, tiveram acesso a merchandising próprio, tiraram uma fotografia com o ídolo e participaram numa sessão de perguntas e respostas. E, claro, viram o concerto na primeira fila. Inês tem «uma tela gigante» no quarto, com a fotografia que tirou. «Marca muito, vale a pena», diz assertiva Sílvia Martins, sempre atenta aos espetáculos que aí vêm. Desta vez esteve duas horas a tentar a compra online até conseguir os dois bilhetes. «Esgota sempre», diz.

Esta é uma tendência atual, reconhece Álvaro Covões, diretor da promotora Everything is New - que organiza, entre outros, o NOS Alive. «Nos concertos há pacotes VIP que são mais vocacionados para os verdadeiros fãs, que tem acesso a um bom lugar e a privar com o artista», refere recordando que quando Adele esteve em Portugal, um grupo de fãs que comprou os bilhetes VIP assistiu ao espetáculo na fila da frente e... jantou com a cantora. Quando o artista permite, é disponibilizado o bilhete VIP: «é um fenómeno cada vez maior, em linha com o que se faz a nível mundial», refere.

Também nos festivais há bilhetes mais caros, que dão acesso a zonas exclusivas, com maiores comodidades e facilidade de acesso. Por exemplo, no Meo Sudoeste (promovido pela Música no Coração), que decorreu nos últimos dias, os festivaleiros com o passe exclusive (200 euros) tiveram acesso ao front stage, a zona gourmet, casas de banho VIP e estacionamento reservado.

A EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, que gere os equipamentos municipais em Lisboa - acaba de lançar três bilhetes temáticos, com validade de 90 dias que evitam as filas - uma espécie de via verde dos equipamentos culturais da cidade. Os bilhetes estão à venda online e são: Artistas de Lisboa (inclui a Casa Fernando Pessoa, o Atelier-Museu Júlio Pomar e o Museu Bordalo Pinheiro, custa 8 euros); Museus de Lisboa (Palácio Pimenta, Teatro Romano, Santo António e Casa dos Bicos + Museu do Aljube + Museu do Fado + Museu Bordalo Pinheiro + Museu da Marioneta, custa 25 euros); Castelo de S. Jorge e Lisboa Histórica (Castelo de S. Jorge + Museu do Fado + Museu do Aljube + 3 núcleos do Museu de Lisboa (Teatro Romano, Santo António, Casa dos Bicos), custa 22,50 euros.

No Porto, há um cartão - o Porto Card - que abre as portas de museus e dos transportes públicos. Custa entre 24,99 euros e 13 euros (depende do número de dias de utilização) e proporciona a entrada gratuita nos museus municipais (Casa do Infante, Museu Romântico, Casa Museu Guerra Junqueiro, Arqueossítio, Casa-Museu Fundação Engenheiro António Almeida, Casa Museu Marta Ortigão, Casa Oficina António Carneiro, Gabinete de Numismática, Museu do Papel-Moeda) e nos transportes públicos, assim como descontos de 50% em restauração e outras instituições (Serralves, Casa da Música, Palácio da Bolsa ou Sea Life).

Continuando pelo Porto, na Fundação Serralves, é o cartão de amigo que dá acesso a entrada gratuita e ilimitada durante todo o ano naquela fundação, assim como em todos os museus e palácios da rede da Direção Geral do Património Cultural (DGPC). Os amigos de Serralves têm ainda acesso gratuito às visitas guiadas (têm uma visita guiada exclusiva em todas as exposições), assim como descontos de 10% na livraria, no restaurante, no bar e na casa de chá. O cartão Amigo é anual e tem várias modalidades e preços: individual (50 euros, com desconto de 50% para maiores de 65 anos, professores e estudantes), família (75 euros) e dual (dois adultos, 75 euros). Os amigos Família beneficiam ainda de descontos de 10% para as festas de aniversário das crianças e nas oficinas sazonais. São já 2200 os amigos de Serralves, que recebem todos os meses informação exclusiva e têm estacionamento gratuito.

A Casa da Música também tem amigos com cartão, mais precisamente 954. Tem duas modalidades - individual (50 euros) e jovem (menores de 30 anos, 25 euros) - e oferece 25% de desconto na aquisição de assinaturas, nos concertos da programação artística e nas atividades do serviço educativo (a partir de dez euros). Os detentores do Cartão Amigo da Casa da Música têm ainda prazo alargado para reserva de bilhetes (14 dias) e informação regular sobre toda a programação.

Descontos no teatro

O Cartão Amigo do Teatro Nacional de São João é gratuito e oferece um desconto de 60% na compra de dois bilhetes para um espetáculo à escolha depois de adquiridos quatro ingressos. É válido por um ano, dá desconto na loja, e acesso a toda a informação relativa à programação. Em Lisboa, o Teatro Nacional D. Maria II disponibiliza assinaturas para 5, 10 ou 20 espetáculos (entre 40 e 120 euros), que significam um desconto superior a 50% no acesso aquele teatro.

Em Almada, o Clube de Amigos do Teatro Municipal Joaquim Benite beneficia de espetáculos gratuitos da companhia e descontos para os acompanhantes. A assinatura é anual, custa 45 euros, e dá ainda desconto no restaurante, nas edições próprias e nas assinaturas para o Festival de Teatro de Almada.

Exposições sem fim

O Centro Cultural de Belém disponibiliza o Cartão Amigo CCB. Com 835 aderentes, tem quatro modalidades anuais: Individual (60 euros), Jovem (até aos 30 anos, 30 euros), Sénior (a partir dos 65 anos, 30 euros) e Família (80 euros). Os amigos do CCB têm descontos de 30% nos espetáculos com produção CCB e Fábrica das Artes, convite para um dos concertos da temporada, assim como para as conferências e atividades do CCB e acesso a venda antecipada para os bilhetes do Dias da Música. Os Amigos do CCB têm acesso a informação privilegiada sobre a programação, estacionamento gratuito na compra de bilhete para o espetáculo e desconto de 10% no restaurante Este Oeste. O CCB pode ainda disponibilizar serviços especiais como park valet, visitas guiadas, descida aos bastidores, autógrafos ou restauração privada, mediante pedido antecipado ao departamento de Relações Públicas (o preço depende do pedido).

O mais jovem museu de Lisboa, o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia -, inaugurado em outubro de 2016, tem desde o início o cartão de membro, que custa 20 euros e possibilita a entrada no museu durante um ano, com direito a entrada gratuita para um acompanhante em todas as exposições e conversas com curadores e artistas. Quanto a descontos, oferece 10% em artigos da loja do MAAT e 50% de desconto nas atividades do programa educativo, assim como em visitas guiadas.

Em Sintra, a Parques de Sintra - que gere o Palácio Nacional da Pena, o Castelo dos Mouros e o Palácio Nacional de Queluz, entre outros - não tem qualquer tipo de oferta mais exclusiva, apenas proporcionando descontos nos bilhetes comprados online. Na Fundação Gulbenkian a oferta VIP é direcionada para os mecenas da instituição, mas está a ser equacionada a criação de um cartão de fidelização. Também o Museu Berardo, que deixou de ser gratuito em 2017, está a analisar modalidades diferentes para criar um cartão de fidelização. Para já, está «criar histórico de entradas pagas» para melhor decidir.

A DGPC não tem qualquer cartão de fidelização. As entradas nos equipamentos da rede são gratuitas aos domingos de manhã. No entanto, é possível alugar espaços para eventos, mediante autorização - por exemplo, jantar na Torre de Belém ou no Palácio Nacional da Ajuda (condições aqui).

Cadeiras mais confortáveis no cinema

No cinema, a Cinema City destaca o cheque cinema Sensations, que proporciona aos utilizadores das salas de cinema «uma experiência que se destaca pelo conforto, privacidade e sofisticação». Nas áreas VIP, localizadas numa zona exclusiva no topo da sala, há poltronas reclináveis em pele. O cliente VIP tem acesso direto do lounge, onde é servido um cocktail, à sala de cinema. Estes bilhetes custam 18 euros, com pipocas ilimitadas, e estão disponíveis em todos os complexos Cinema City do país, com exceção de Alvalade, em Lisboa.

Já os cinemas NOS têm salas VIP nas Amoreiras, em Lisboa, e no NorteShopping, no Porto. Estas têm bar e bilheteira própria, cadeiras maiores e mais confortáveis. Já os cinemas MAR Shopping, Palácio do Gelo-Viseu e Tavira Gran-Plaza têm uma fila com lugares VIP em toda as salas.

Os cinemas UCI têm o UCI Card, um cartão de fidelização, com o intuito de promover o acesso ao cinema. Nuno Sousa, diretor de comunicação, acentua que o UCI Card «não é um cartão VIP» e que «o cinema é uma forma de cultura que se quer que seja para toda a gente». Entre as vantagens deste cartão, disponível a partir de um euro, estão os bilhetes de cinema mais baratos, o acesso à reserva de ingressos e a acumulação de pontos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.