Premium O português que ajudou a "fotografar" o buraco negro: "Este resultado é espetacular"

Hugo Messias é investigador do telescópio ALMA, um dos oito do projeto Event Horizon Telescope, que obteve a primeira imagem de um buraco negro. Ao DN, o astrofísico português fala da nova descoberta e do que aí vem.

Em 2014, um ano depois de o telescópio ALMA ter começado a funcionar no deserto de Atacama, no norte do Chile, Hugo Messias já estava a usar as suas observações, e assim fez uma descoberta. Não só conseguiu, nessa altura, obter a melhor imagem de sempre de uma colisão entre duas galáxias, como isso permitiu à equipa que então liderava caracterizar a "fábrica" de estrelas que a observação revelou. Agora, aos 34 anos, enquanto investigador do ALMA - "termino o contrato de três anos em agosto, depois ainda não sei", diz -, volta a estar no centro de uma grande descoberta: a da primeira imagem de um buraco negro, lá longe, a 55 milhões de anos-luz da Terra. Um marco do qual já se disse que haverá um antes e um depois desta imagem. Para Hugo Messias, este é um resultado "espetacular", que além disso levanta muitas perguntas a que vai ser preciso responder no futuro. Por exemplo: será que aquele buraco negro está a rodar? Neste momento, ninguém sabe.

Ler mais

Exclusivos