Aconteceu em 1981. O "ligeiro acidente" de Soares que lhe levou o pedaço de um dedo - O "ligeiro acidente" de Soares que lhe levou o pedaço de um dedo

A primeira página do DN deste dia em 1981.

"Soares sofreu ligeiro acidente", noticiava o DN numa coluna lateral da primeira página da edição de 11 de abril de 1981. No entanto, uma leitura da pequena notícia revelava ter-se tratado de algo um pouco mais grave do que o título dava a entender.

"O Dr. Mário Soares sofreu ontem a amputação da cabeça do dedo anelar da mão direita em consequência de um pequeno acidente que sofreu em Cascais."

O jornal prosseguia: "O acidente verificou-se quando na noite de anteontem o secretário-geral do PS ficou com a mão entalada na porta do automóvel para onde acabava de entrar. A porta terá sido fechada por uma pessoa que acompanhava Soares, a qual não se apercebeu de que este ainda não se encontrava devidamente instalado."

"Mário Soares deu entrada no hospital de Cascais na madrugada de ontem para uma pequena intervenção cirúrgica de que resultou a amputação da cabeça do dedo. O líder socialista recolheu depois a casa."

Decididamente, a arte do understatement estava de boa saúde neste jornalismo dos anos 1980.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.