Premium Salvador Sobral nos coliseus: "Tenho uma vida nova e isso merece ser festejado"

O novo disco de Salvador Sobral, Paris, Lisboa, serve de pretexto para dois espetáculos de "celebração da vida". É a primeira vez, hoje e amanhã, que sobe ao palco dos coliseus de Lisboa e do Porto.

Sabe que será para sempre o "eterno vencedor da Eurovisão", as palavras são do próprio, mas Salvador Sobral sentiu necessidade de seguir em frente. E a melhor forma de o fazer foi com um novo disco, o segundo da carreira, mas o primeiro a ser editado depois da ressaca eurovisiva.

Chama-se Paris, Lisboa e nele se apresenta um novo Salvador Sobral, "luminoso e colorido", que tanto vagueia pelo jazz, pela canção francesa, pela sua querida música da América Latina e mesmo pela pop sem qualquer tipo de pudor. "A Eurovisão não é um tabu para mim, muito pelo contrário, mas precisei de deixar entrar o sol na minha música, para acabar de vez com a imagem do cantor triste e amargurado", justifica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.