Premium Globo e Bolsonaro em fogo cruzado. Quem ganha a "terceira guerra mundial"?

Palácio do Planalto quer cortar verbas e supostos privilégios da líder de audiências. Estrelas da emissora lançam diretas e indiretas ao presidente. Os dados estão lançados numa batalha que pode marcar todo o mandato presidencial.

Na tomada de posse de Jair Bolsonaro, no dia 1 de janeiro, em Brasília, sempre que um dos (muitos) repórteres da TV Globo, líder absoluta de audiências, ou da Globo News, o seu braço exclusivamente noticioso, se aproximava da área reservada ao público ouvia gritos do outro lado "WhatsApp, WhatsApp, WhatsApp!". No terreno, a guerra já está em marcha.

Aliás, começou logo na pré-campanha, no início do ano passado, quando o "povo bolsonarista" preferiu informar-se pelo aplicativo de telemóvel, muitas vezes via fake news, a consumir os media tradicionais, que acusava de perseguição ao seu candidato.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".