Aconteceu em 1969 - Os 20 anos da NATO eram 20 anos sem ataques armados na sua área - Os 20 anos da NATO eram 20 anos sem ataques armados na sua área

DN publicou há 50 anos um artigo do então secretário-geral da NATO sobre os 20 anos da Aliança Atlântica.

Há 50 anos, o DN exultava a NATO como uma força de paz, com a publicação de um artigo do então secretário-geral da organização, Manlio Brosio, que lembrava que, à passagem dos 20 anos da Aliança Atlântica, "um aniversário importante requer um slogan que condense o acontecimento que se celebra".

Na primeira página do jornal de 10 de abril de 1969, ao alto em grande destaque, o título era quase redundante: "No aniversário da N.A.T.O.", assim com os pontos a separar as palavras da sigla da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN, para os puristas). E o italiano Manlio Brosio - cujo nome aparecia erradamente grafado com "z" - garantia que na "brevidade" das "cinco palavras" do slogan escolhido, "NATO - Vinte Anos de Paz", "corresponde à verdade, pois desde 1949 que nenhum dos países membros foi vítima de ataque armado na área coberta pelo tratado".

Numa época em que a Guerra Fria marcava o tempo e o modo de uma Europa dividida pelo Muro de Berlim - com as democracias ocidentais de um lado e o domínio soviético para lá da Cortina de Ferro -, Brosio sublinhava que "este facto", o de 20 anos sem ataques armados diretos, "por si só é suficiente para justificar a Aliança Atlântica e para manter as esperanças nela postas pelas nações que a fundaram, entre as quais um lugar proeminente é ocupado por Portugal".

O italiano explicava depois que a NATO surgiu, em 1949, "para prevenir a agressão soviética contra o mundo ocidental", numa época em que Berlim Ocidental sofria "o bloqueio que lhe foi imposto pela URSS [a antiga União Soviética] e o putsch comunista de Praga se encontrava ainda na memória de todos".

Nos 20 anos de paz desta Europa, Brosio alinhava depois algumas diferenças da NATO, duas décadas depois da sua criação. "Em 1969, chegou-se a um estado em que o número de mísseis soviéticos criou praticamente um equilíbrio nuclear entre o Leste e o Oeste." A paz tinha um reverso inquietante.

Exclusivos